Bolsonaro diz que Alvim tem carta branca na Fundação Palmares

Indicado pelo secretário de Cultura, o presidente da fundação nega a existência de racismo no Brasil

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 29/11/2019 14:10

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse, na manhã desta sexta-feira (29/11/2019), que o chefe da Secretaria de Cultura, o dramaturgo Roberto Alvim, tem liberdade para fazer mudanças na Fundação Palmares.

A resposta é dada em meio à polêmica protagonizada pelo presidente da fundação, Sérgio Nascimento de Camargo. O órgão do governo é responsável pela política de incentivo à cultura afrodescendente, mas Camargo nega a existência de racismo e critica a figura de Zumbi dos Palmares, que dá nome à instituição.

Questionado sobre as declarações do subordinado à Alvim na saída do Palácio do Alvorada, nesta manhã, o chefe do Executivo indicou que confia na escolha que fez para a Cultura.

“O secretário é um tal de Roberto Alvim. Dei carta branca para ele. A cultura nossa tem que estar de acordo com a maioria da população brasileira, não de acordo com a minoria. Ponto final. Ponto final”, afirmou.

Bolsonaro disse ter despachos semanais com o dramaturgo, mas indicou que o assunto ainda não foi tratado. O presidente lembrou que já sofreu acusações de racismo, mas que foi considerado inocente. “Só vou responder depois de ouvi-lo”, ponderou.

Últimas notícias