Policial civil participou da extorsão ao padre Robson, aponta investigação

O agora ex-agente, que era lotado na Deic, recebeu pelo menos R$ 50 mil da extorsão praticada contra o religioso

atualizado 26/08/2020 18:53

Padre RobsonDivulgação/ Afipe

Policial civil em 2019, Elivaldo Monteiro de Araújo agiu em conluio com os outros quatro acusados para extorquir o padre Robson de Oliveira, então gestor da Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe). Segundo apontam os autos condenatórios de 2019, o agora ex-agente, que era lotado na Delegacia Especializada em Investigação Criminal (Deic), recebeu pelo menos R$ 50 mil da extorsão praticada contra o religioso. Ele foi condenado a cinco anos de reclusão e foi demitido da corporação após processo administrativo.

Os policiais civis, que já investigavam o caso na época, conseguiram localizar Elivaldo e passaram a rastrear o veículo dele. O policial apontado no episódio de extorsão foi sócio de Welton Ferreira Nunes, condenado por ser o autor intelectual e principal agente do crime contra o padre Robson. Elivaldo foi responsável, conforme apontam os autos, por buscar R$ 50 mil semanalmente, fruto da extorsão, por sete vezes, no Shopping Cerrado, no Setor Aeroviário, em Goiânia.

Leia a reportagem completa em Mais Goiás, parceiro do Metrópoles.

Últimas notícias