Polícia cumpre 100 mandados de prisão contra agressores domésticos no Rio

As ordens judiciais cumpridas são por condenações ou descumprimento de medidas protetivas

atualizado 13/08/2020 9:46

Reprodução

A Polícia Civil do Rio de Janeiro deflagou a Operação Atenas para cumprir 100 mandados de prisão contra agressores domésticos no estado, na manhã desta quinta-feira (13/8). A ação executou as ordens judiciais pendentes desde o ano passado.

“Verificamos que havia esses mandados pendentes de investigações do ano passado. Dividimos e distribuímos para cumprimento em 14 Deams [Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher], com apoio operacional das unidades distritais ou cumprimento pelas distritais, em locais que não contam com uma Deam”, contou a delegada à frente do caso, Sandra Ornellas, ao portal O Dia.

Entre os oito detidos até o momento, dois estavam em Angra dos Reis, dois no centro do Rio e um em Niterói, Resende, Teresópolis e São João de Meriti. Segundo Ornellas, por conta da pandemia do novo coronavírus, houve uma redução no número de registro de violência doméstica. Na visão da delegada, trata-se de casos subnotificados e não redução no número de crimes.

“Isso não significa que tenha havia sido redução de violência. A casa é o lugar mais violento para mulher. Elas estão com os agressores, vivendo com medo. Há uma subnotificação”, explicou.

A maior parte dos agressores presos na operação foi denunciada pelas próprias vítimas. “As delegacias nunca pararam, funcionam 24 horas. O que a gente tinha com o isolamento era a dificuldade de transporte ou o medo, porque o autor está em casa. O ideal é que a mulher procure a delegacia. Caso ela não possa sair por alguma situação que a impeça, ela deve ligar para o 197, para que a gente oriente caso a caso”, disse.

Os mandados cumpridos são por condenações ou descumprimento de medidas protetivas.

Últimas notícias