Ambulante morre após ser espancado por reclamar do preço da carne

Wagner de Oliveira Lovato, de 40 anos, foi transferido para o Hospital Cristo Redentor, em Porto Alegre, mas morreu nesse domingo (3/10)

atualizado 04/10/2021 14:56

Vendedor ambulante Wagner Lovato morreu nesse domingo (3/10)Reprodução/ Redes sociais

Um vendedor ambulante morreu, na noite desse domingo (3/10), após ser espancado em frente a uma casa de carnes, na cidade de Alvorada, Região Metropolitana de Porto Alegre (RS).

A vítima foi identificada como Wagner de Oliveira Lovato (foto em destaque), de 40 anos. O homem chegou a ser transferido para o Hospital Cristo Redentor, na capital, mas não resistiu aos ferimentos. Ele teve morte cerebral, informou a unidade de saúde ao Metrópoles.

As agressões ocorreram no sábado (2/10). Wagner foi espancado por um funcionário do estabelecimento que estava de folga e por um amigo dele.

“Ele [Wagner] teria tido uma discussão banal. Na saída, houve uma briga. Ele tomou dois socos, se desequilibrou e bateu com a cabeça no chão. Também há relatos de que o funcionário teria chutado a cabeça dele”, conta o delegado Edimar de Souza, em conversa com o Metrópoles.

“Um dos agressores disse que a vítima saiu do estabelecimento sem comprar nada e teria falado que a carne estava cara e que não era de qualidade”, completou.

Os dois agressores estavam embriagados. Eles foram levados para a delegacia e presos preventivamente. “A gente ainda vai analisar as câmeras de segurança e ouvir outras testemunhas, como o dono do estabelecimento e mais alguns funcionários”, relata Edimar de Souza.

Em nota, o Shopping das Carnes informou lamentar profundamente a morte do ambulante. “Estamos adotando todas as medidas possíveis para auxiliar as autoridades na apuração das responsabilidades neste ato criminoso em frente ao estabelecimento em Alvorada. O funcionário envolvido neste episódio inaceitável, que não estava em atividade de trabalho no momento do crime, foi afastado pela empresa e está sob custódia da polícia”, ressaltou a empresa.

A casa de carnes assegurou que, desde o ocorrido, tem buscado contato com a família da vítima para dar o suporte necessário.

“Compreendemos o momento de dor e de reserva e respeitamos o tempo dos familiares. Estamos à disposição para que esse diálogo aconteça. Em respeito a Wagner de Oliveira Lovato e a sua família, a loja estará fechada nesta segunda-feira (4/10)”, completou, ao ressaltar que não tolera, nem admite, nenhum tipo de violência.

Últimas notícias