MPDFT investiga suposto vazamento de dados da Fiesp

Mais de 34 milhões de brasileiros foram afetados, segundo o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios

atualizado 22/11/2018 20:06

Julia Moraes/Fiesp/Divulgação

A Unidade Especial de Proteção de Dados e Inteligência Artificial do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) instaurou inquérito civil público para investigar suposto incidente de segurança envolvendo banco de dados da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). A portaria foi assinada nesta quinta-feira (22/11).

Serão apuradas as circunstâncias do suposto incidente de segurança e as responsabilidades pelos danos eventualmente causados.

Os dados pessoais estavam disponíveis em um banco aberto e não criptografado. A maior coleção continha informações de 34.817.273 brasileiros. Foram expostos dados pessoais, como nome, RG, CPF, sexo, data de nascimento, endereço, e-mail e telefone.

Até a última atualização desta reportagem, a Fiesp (na foto em destaque, o edifício-sede da entidade, na Avenida Paulista) não havia se manifestado.

Outro lado
Por meio de nota, a Fiesp disse que “está apurando eventual acesso a sua base de dados cadastrais, no dia 12 de novembro, por uma empresa que alega ser de segurança digital”.

Ainda segundo a federação, “nesta base há somente dados cadastrais, não contendo informações sensíveis nem senhas. Não há, até o momento, notícia de que qualquer informação pessoal do cadastro tenha sido exposta”.

Segundo a empresa relatou à Fiesp, os dados não foram tornado públicos e teriam sido destruídos logo após a companhia acessá-los. “Afirmou ainda que seu objetivo foi expor eventuais vulnerabilidades para prevenção de potenciais vazamentos”, completou. “A Fiesp reforça o seu compromisso de sempre zelar pela segurança de seus ambientes.” (Com informações do MPDFT)

Últimas notícias