Mourão diz que demitirá assessor que falou em seu nome ao procurar deputado

As conversas teriam sido sobre as articulações em curso no Congresso para um eventual impeachment de Bolsonaro

atualizado 28/01/2021 22:11

Metrópoles/ Rafaela FeliccianoRafaela Felicciano/Metrópoles

O chefe da Assessoria Parlamentar da Vice-Presidência da República, Ricardo Roesch Morato Filho, será exonerado “brevemente”. Foi o que disse o vice-presidente Hamilton Mourão, nesta quinta-feira (28/1), segundo o jornal O Globo. A ação ocorre após o site “O Antagonista” ter revelado mensagens de Morato Filho trocadas com o chefe de gabinete de um deputado federal sobre aarticulações em curso para Mourão assumir o governo em um eventual impeachment de Jair Bolsonaro (sem partido).

Mourão demonstrou a sua insatisfação com a situação e confirmou o episódio: “A conversa houve, foi algo que me deixou extremamente chateado. O único patrimônio que eu tenho é a minha honra e a minha honra está ligada à lealdade, são esses valores que eu não abro mão”.

“Posso algumas vezes discordar do presidente Jair Bolsonaro, mas jamais vou trabalhar contra ele. E o assessor avançou um sinal totalmente fora do foco, fora do que são as minha orientações. E como consequência, ele será exonerado aí, brevemente”, acrescentou.

O vice-presidente também disse que o auxiliar negou ter sido o autor das mensagens e alegou que teve o celular hackeado, mas ele não acreditou na versão. Mourão informou que a exoneração será publicada na edição desta sexta-feira do Diário Oficial da União.

“Agiu sem meu consentimento e contra minhas determinações. Será exonerado”, escreveu o vice-presidente, por volta das 16h50. “(O assessor) Está negando com o argumento de que o celular foi hackeado, o que para mim não é verdade”, complementou Mourão.

As mensagens

Na conversa reproduzida pelo O Antagonista, Morato Filho aborda o assessor de um deputado federal, cuja identidade não foi revelada, o chamando de “irmão”. E diz que quando o parlamentar quiser agenda com Mourão é “só avisar”. O assessor diz que o seu chefe possivelmente vai querer.

O assessor de Mourão diz  ainda “precisamos tomar um café mais reservadamente”, ao que o interlocutor concorda. Ele então comenta: “Eu tenho conversado com os assessores de depurados [sic] mais próximos… é bom sempre estarmos preparados”. Quando o assessor pergunta para que, Roesch responde que “nada demais, articulação normal mesmo”.

Mas, na sequência, introduz o assunto da possível sucessão de Mourão ao posto de Bolsonaro. “Sabe que Mourão dividiu a ala militar”, disse ele em uma mensagem. “Antes Heleno dominava agora estão divididos – Capitão está errando muito na pandemia – Gal. Mourão é mais preparado e político você sabe disso”, complementou, em referência ao também general aposentado do Exército Augusto Heleno, ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e ao presidente Bolsonaro, que é capitão reformado do Exército.

Ainda de acordo com as reproduções, o assessor do deputado respondeu que não pode ter esse tipo de conversa porque seu chefe não iria gostar, mas disse que continuaria falando com ele. Roesch então encerra a conversa: “relaxa”.

O que disse a Vice-Presidência

O jornal ainda afirmou que a assessoria de comunicação da Vice-Presidência havia divulgado uma nota, mais cedo, rebatendo a matéria de “O Antagonista”. Já o novo posicionamento de Mourão ocorreu depois de o site divulgar reproduções da troca de mensagens de Ricardo Roesch Morato Filho com o assessor de um deputado.

Em nota, foi informado que o vice-presidente “repudia a inverdade de toda a narrava e afirma que ninguém de sua equipe teve, tem ou terá este tipo de comportamento”.

“Se assim agir, será considerado desleal. Isso parece ser mais uma jogada para buscar turvar as relações do Vice-Presidente com o Presidente da República”, acrescentou a assessoria.

A nota ainda reproduzia uma declaração de Mourão, que é general da reserva do Exército: “… Na profissão que exerci por 46 anos a lealdade é uma virtude que não se negocia”.

Por fim, a assessoria concluiu: “A Vice-Presidência destaca que o momento ora vivido em nosso Brasil é de união de esforços para salvar vidas e restabelecer o crescimento econômico. Este tipo de cobertura jornalística: inconsistente e inverídica em nada, absolutamente nada, agrega a todo esforço do Governo Federal em cumprir seus objetivos de informar e esclarecer a sociedade brasileira com informações úteis que merecem ser conhecidas”.

0

Mais lidas
Últimas notícias