Médicos da rede pública municipal de SP aprovam paralisação por um dia

Sindicato dos Médicos de São Paulo votou por paralisação na próxima quarta-feira (19/1) na rede pública da capital

atualizado 14/01/2022 12:01

movimento hospital pacientes covid sao paulo 2Fábio Vieira/Metrópoles

São Paulo – Após divulgarem uma carta aberta denunciando más condições de trabalhos e reivindicando pagamento de horas extras e mais contratações, médicos da Atenção da Primária à Saúde (APS) da cidade de São Paulo definiram que vão fazer uma paralisação no dia 19 de janeiro, próxima quarta-feira.

A deliberação foi feita por 150 médicos, em assembleia realizada pelo Sindicato dos Médicos de São Paulo (Simesp) na noite da última última quinta (13/1).

Os profissionais, que trabalham em Unidades Básicas de Saúde (UBS) e outros equipamentos municipais, pediram uma reunião com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) para ter uma resposta sobre a restruturação de equipes desfalcadas em razão de afastamentos por Covid-19 e gripe, e um plano de reposição dos profissionais até 17 de janeiro.

0

Os médicos ainda reivindicam a desobrigação do comparecimento em fins de semana e feriados e a retomada dos espaços de discussão entre o sindicato e a prefeitura. Caso os pedidos sejam atendidos, a paralisação poderá ser reavaliada.

Em documento assinado por sete sindicatos da área da saúde de São Paulo, divulgada na última quinta (13/1), os trabalhadores denunciam condições precárias de trabalho e falta de insumos e medicamentos nos postos de saúde. Além disso, cobram o pagamento de horas extras, uma melhor gestão de horários e contratação de mais profissionais.

 

Mais lidas
Últimas notícias