Manifestantes protestam contra Bolsonaro em várias capitais pelo país

Rio de Janeiro, Salvador, São Luis, Recife, Belém e Maceió estão entre as cidades que registram manifestações neste sábado (24/7)

atualizado 24/07/2021 16:01

Protesto contra bolsonaro rio de janeiro1Adriana Cruz/Metrópoles

São Paulo – Diversas cidades do país registram manifestações contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) neste sábado (24/7). Os protestos já ocorreram ou estão em andamento em capitais como Rio de Janeiro, Salvador, São Luis, Recife, Belém e Maceió.

Até às 14h, mais de dez capitais já contabilizam atos contra o presidente e também em defesa da vacinação. E ao menos 20 estados já registram as mobilizações com o mesmo perfil.

De acordo com a Central de Movimentos Populares (CMP), que também organiza as ações deste sábado, estão marcadas 488 manifestações.

Algumas cidades tiveram protestos iniciados ainda pela manhã, como o Rio de Janeiro, enquanto em outras, os atos devem começar às 15h, como nos casos de São Paulo e Brasília.

No Rio, manifestantes ocuparam neste sábado (24/7) um trecho significativo da avenida Presidente Vargas, no centro da cidade. Com faixas e cartazes, em defesa da vacina e com críticas ao governo, o público presente seguiu em direção à igreja da Candelária, ponto de encerramento do protesto.

Em Minas Gerais, além da capital Belo Horizonte, cidades como Governador Valadares, Timóteo e Montes Claros também somaram protestos contra o governo. 

Salvador e outras cidades do interior da Bahia também já registravam protestos nas últimas horas. 

Municípios de Santa Catarina, como Joinville, Jaraguá do Sul e Criciúma, também entram na lista de manifestações já realizadas ou em andamento até o início desta tarde.

As primeiras grandes manifestações contra Bolsonaro começaram em maio, repetiram-se em 19 de junho e 3 de julho, todas com o apoio de movimentos sociais e partidos e políticos de esquerda.

Nas redes sociais, manifestantes e grupos de esquerda estão publicando vídeos e fotos dos protestos, usando a hashtag #24JForaBolsonaro. Até o momento não há registro de tumultos.

Veja mais fotos:

0

 

 

Últimas notícias