TSE condena Luciano Hang a pagar multa por “propaganda irregular”

O proprietário da rede de lojas Havan desistiu de dar sequência ao processo na Justiça e informou que vai pagar R$ 2 mil de punição

DivulgaçãoDivulgação

atualizado 18/09/2019 18:51

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) condenou o empresário Luciano Hang, proprietário das lojas Havan, por “propaganda irregular”. Segundo a denúncia, na campanha eleitoral de 2018 Hang teria coagido os funcionários a votar em Jair Bolsonaro (PSL), então candidato à Presidência da República.

A sentença foi proferida pelo TSE no dia 13 de agosto. De acordo com o documento, a defesa do empresário desistiu de reformar a decisão judicial e informou que Hang cumprirá a sentença. Ele terá que pagar R$ 2 mil de multa, acrescida de juros e correções.

Deixar o país
Em outubro do ano passado, Luciano Hang apareceu em um vídeo onde fazia ameaças de que ia deixar o país e, consequentemente, demitir seus 15 mil funcionários, caso Bolsonaro não fosse eleito presidente.

“Todos sabem a minha posição. Eu sou Bolsonaro! Bolsonaro! Quero uma salva de palmas”. Na sequência, pediu a todos que saudassem aquele candidato, em coro: “Bolsonaro! Bolsonaro! Bolsonaro!”. E conclui em pedido de voto: “Pra esse Brasil mudar, pra esse Brasil melhorar, Bolsonaro Presidente”, disse o empresário aos empregados.

Últimas notícias