Sítio de Atibaia: dono pede permissão à Justiça para vender o imóvel

A defesa de Fernando Bittar alegou que a venda será mais beneficiária do que um eventual leilão, onde pode haver deságio

CARLOS NARDI/WPP/ESTADÃO CONTEÚDOCARLOS NARDI/WPP/ESTADÃO CONTEÚDO

atualizado 22/04/2019 20:14

O empresário Fernando Bittar, dono do sítio em Atibaia (SP), pediu à Justiça Federal permissão para vender a propriedade que foi responsável pela segunda condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). As informações são da Folha de S.Paulo.

Na petição, encaminhada ao juiz Luiz Antonio Bonat nesta segunda-feira (22/04/19), a defesa de Bittar alega que a iniciativa de venda será mais benéfica à Justiça do que um eventual leilão, no qual poderia haver deságio.

A defesa afirma, ainda, que o dinheiro levantado com a venda do sítio vá para a conta judicial indicada pelo juiz Bonat. “A realização da venda nesses termos [com o depósito do valor em Juízo] cumpre, com muito mais efetividade, o propósito de confiscar os supostos produtos dos delitos,  correspondentes aos valores gastos nas reformas”, diz a petição.

Bittar comprou a propriedade em 2010 por R$ 500 mil. Na sentença que condenou Lula, ele recebeu pena de três anos de prisão por lavagem de dinheiro, além de multa de cerca de R$ 14 mil. O empresário recorre em liberdade.

Últimas notícias