*
 

A presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), convocará a militância do partido para manifestações a favor da soltura de Luiz Inácio Lula da Silva. Conforme afirma a petista em vídeo publicado no Twitter, os protestos serão uma resposta ao que acredita ser um “golpe” de setores da Justiça contra o ex-chefe do Executivo nacional.

O desembargador Rogério Favreto, do TRF-4, manteve a decisão de libertar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mesmo após o relator do caso no âmbito da Lava Jato, Gebran Neto, revogar o habeas corpus concedido pelo magistrado plantonista. O despacho foi publicado às 16h04 deste domingo (8/7) e deve ser cumprido na próxima hora. Com idas e vindas, a soltura do líder petista se tornou um grande embate na esfera da Justiça.

“Se por um acaso acontecer algum golpe em relação a isso, alguma ação de setores da Justiça brasileira para tentar conter a soltura do presidente Lula, nós faremos uma grande manifestação. Não só em Curitiba, mas em todos os lugares do país também. Está em jogo a nossa democracia. Portanto, vamos ficar em alerta e acompanhando esse processo”, garantiu Gleisi.

Ainda neste domingo, petistas são esperados na sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (SP).

Mais cedo, Gleisi disse em nota que é “inconcebível” o desrespeito à ordem de soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A decisão tomada pelo desembargador Rogério Fraveto foi questionada pelo juiz federal Sérgio Moro.

“É também inconcebível que a decisão do desembargador Favreto seja desconsiderada no âmbito do TRF-4 por meio de grosseiras chicanas conduzidas por Moro e seus parceiros. Estas manobras são a prova concreta de que parte do sistema judicial está a serviço de interesses políticos e econômicos, no Brasil e em outros países, que não toleram o projeto de desenvolvimento com justiça e inclusão social que Lula representa. Querem mantê-lo preso à força”, disparou Gleisi.

Moro contestou a decisão de Fraveto. De acordo com o juiz da Lava Jato, o desembargador plantonista não tem competência para “sobrepor-se à decisão do Colegiado da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região e ainda do Plenário do Supremo Tribunal Federal [STF]”.

Lula está preso desde o dia 7 de abril, após ter sido sentenciado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, em duas instâncias, no caso do triplex em Guarujá (SP), no âmbito da Operação Lava Jato. O petista foi o primeiro ex-presidente do Brasil condenado por crime comum.

Para o PT, a decisão de Fraveto “reconhece que Lula tem direito a se defender em liberdade nas instâncias superiores, como a Constituição garante a todos”.

Leia a íntegra da nota de Gleisi Hoffmann:

“Depois de 92 dias de prisão ilegal e injusta, finalmente neste domingo (8) foi reconhecido o direito do companheiro Lula defender-se em liberdade da sentença arbitrária e disputar a presidência da República em igualdade de condições com os demais candidatos.

A decisão do desembargador Rogério Favreto, do TRF-4, restabelece o estado de direito, tantas vezes violado por Sérgio Moro e pela 8ª Turma daquele tribunal. É o reconhecimento de que Lula não poderia ter sido preso sem crime nem provas, pela simples vontade de juízes parciais como aconteceu.

É simplesmente inconcebível que a ordem de um desembargador de Tribunal Regional Federal seja desrespeitada, como quer Sérgio Moro, que é de instância inferior. E é também inconcebível que a decisão do desembargador Favreto seja desconsiderada no âmbito do TRF-4 por meio de grosseiras chicanas conduzidas por Moro e seus parceiros.

Estas manobras são a prova concreta de que parte do sistema judicial está a serviço de interesses políticos e econômicos, no Brasil e em outros países, que não toleram o projeto de desenvolvimento com justiça e inclusão social que Lula representa. Querem mantê-lo preso à força.

O povo brasileiro sabe que Lula é inocente de todas as acusações feitas contra ele pela Lava Jato. Nunca foi dono do tal tríplex, nunca pediu nem recebeu propinas, nunca participou de desvios na Petrobras, nunca fez nada fora da lei, antes durante ou depois de ser presidente.

O povo brasileiro sabe que Lula foi preso por motivações exclusivamente políticas, para impedi-lo de ser candidato e, pelo voto democrático, livrar o povo brasileiro de todo o sofrimento imposto pelo governo golpista e seus apoiadores, tendo à frente a rede de mentiras da TV Globo.

Por meio da decisão do desembargador Favreto, o sistema judicial, que tantas vezes foi manipulado para perseguir Lula e privá-lo da liberdade, reconhece agora que ele tem direito a se defender em liberdade nas instâncias superiores, como a Constituição garante a todos.

E decide, principalmente, que a sociedade tem o direito de saber, pela voz do próprio Lula, suas propostas para tirar o Brasil dessa imensa crise, para retomar o caminho da democracia, da justiça social e da construção da igualdade.

É dever de todos os democratas defender essa decisão contra as pressões da Globo e dos golpistas para que a lei, o direito e a Constituição sejam violadas por meio de novas manobras processuais.

A liberdade de Lula é o restabelecimento do estado de direito, é a liberdade do Brasil.

Basta de injustiças contra Lula!

Basta de golpes contra a democracia e contra o direito do povo escolher quem o representa!

Lula livre!

Lula presidente!

Gleisi Hoffmann, presidenta nacional do Partido dos Trabalhadores”