80 tiros: Justiça ouve testemunhas de militares nesta segunda

Na terça-feira (27/08/2019) está prevista a oitiva dos réus. Depoimentos serão feitos no Rio de Janeiro

atualizado 26/08/2019 11:08

Facebook/Reprodução

A Justiça Militar ouve, nesta segunda-feira (26/08/2019), policiais militares do Rio de Janeiro e testemunhas de defesa dos 12 acusados pela morte do músico Evaldo Rosa dos Santos e o catador Luciano Macedo. O caso ficou conhecido como 80 tiros, em referência à quantidade de disparos feitos pelos militares contra o carro da vítima.

Já nesta terça-feira (27/08/2019), ocorrerá a qualificação e o interrogatório de todos os acusados. Eles serão ouvidos, individualmente, pela primeira vez neste processo criminal que ocorre na primeira instância da Justiça Militar federal. Os militares dizem ter confundido o veículo com o de traficantes.

Os 12 militares do Exército foram denunciados junto à Justiça Militar da União no dia 11 de maio pelos crimes de homicídio qualificado (artigo 205, parágrafo 2º, do Código Penal Militar) e por omissão de socorro, por supostamente não terem prestado assistência às vítimas. Evaldo e Luciano foram mortos no dia 7 de abril.

Relembre o caso
Evaldo Rosa dirigia seu carro, um Ford Ka sedan branco, rumo a um chá de bebê, e transportava a mulher, um filho, o sogro e uma adolescente. Ao passar por uma patrulha do Exército na Estrada do Camboatá, o veículo foi alvejado por cerca de 80 disparos pelos militares.

O motorista morreu no local. O sogro ficou ferido, mas sobreviveu. O catador Luciano Macedo, que passava a pé pelo local, também foi atingido e morreu dias depois.

Últimas notícias