Gafanhotos que ameaçam lavouras no Sul podem oferecer risco ao ser humano?

Segundo as autoridades argentinas, a nuvem teve origem no Paraguai e vem atravessando o país desde a semana passada

atualizado 25/06/2020 9:29

Nuvem de gafanhotosGoverno de Córdoba/Divulgação

A nuvem de gafanhotos que se aproxima do Sul do país e pode devastar lavouras no estado do Paraná não oferece risco eminente ao ser humano. O doutor em Zoologia, professor do curso de Ciências Biológicas da Universidade Positivo, Rodolfo Correa de Barros, disse à Banda B, na manhã desta quarta-feira (24/06), que os gafanhotos têm essa característica de se agruparem, principalmente para buscar parceiros para a reprodução.

“Normalmente, eles não ficam isolados em uma área, como são animais voadores, ficam se deslocando. Por ser voraz, o gafanhoto vai comendo tudo aqui que encontra pela frente de origem vegetal, principalmente. Os agricultores é que devem se preocupar com destruições porque o risco para humanos é bem pequeno”, explica o professor.

Leia a matéria completa no site Banda B, parceiro do Metrópoles.

Últimas notícias