Funcionário humilhado no Carrefour tem crise de pânico após episódio

Vendedor estava sem dormir há dois dias e foi levado para o hospital com tremores e respiração ofegante

atualizado 27/10/2021 14:31

carrefourReprodução

O funcionário que aparece nas imagens sendo ridicularizado por uma gerente do Carrefour enquanto limpa o chão da loja de joelhos, Pedro Henrique Monteiro da Silva, relatou ao Metrópoles que foi levado às pressas ao hospital após ter uma crise de pânico como consequência do episódio.

O caso aconteceu em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, em 28 de setembro. A cena foi gravada por uma cliente.

Segundo a esposa de Pedro Henrique, Thais Viana, o rapaz estava há dois dias sem dormir e foi encaminhado para o hospital. Thais contou que o marido estava com as mãos trêmulas e a respiração ofegante. O funcionário está afastado do emprego desde que ocorreu o caso, há quase um mês.

Nas imagens que circulam pela internet, Pedro Henrique aparece de joelhos limpando o chão da loja enquanto uma gerente o ridiculariza.

A esposa do funcionário afirmou que ele já está em casa, mas ainda sob medicação e com muita dor de cabeça.

MPT investiga caso

O Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso do Sul (MPT-MS) informou, nessa terça-feira (26/10), que instaurou uma investigação para apurar acusações de assédio moral no hipermercado.

O MPT tem até 90 dias para deliberar sobre a instauração de outras medidas.

Veja a nota na íntegra:

Após as notícias veiculadas na imprensa, que divulgam um vídeo supostamente gravado nas dependências do supermercado Carrefour, localizado em Campo Grande (MS), e cujo teor dá conta de uma mulher, apontada como gestora do estabelecimento, proferindo palavras a um homem, que seria seu subordinado, o Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso do Sul (MPT-MS) informa que: 

No dia 26 de outubro de 2021, foi instaurado procedimento investigatório e, após a fase de apuração preliminar, serão tomadas as eventuais providências cabíveis por parte da instituição.

Conforme o ato normativo que disciplina a instauração e tramitação da notícia de fato no âmbito do Ministério Público – Resolução CNMP n° 174/2017 – após registrada em sistema digital interno de controle, a mesma é distribuída livre e aleatoriamente entre um dos membros (no caso, um dos procuradores do MPT-MS), que atuam na área de abrangência de Campo Grande (município onde supostamente os fatos ocorreram).

A distribuição por sorteio somente não ocorre quando o fato noticiado já é objeto de procedimento em curso – situação em que a notícia de fato é distribuída por prevenção, ou seja, a investigação será encaminhada ao membro que já atua em face do (da) denunciado (da).

Além deste procedimento instaurado para investigação da notícia de fato, tramita no âmbito do MPT-MS outra investigação em face do empregador Carrefour Comércio e Indústria LTDA pela prática de assédio moral.

Após distribuída, a notícia de fato é apreciada no prazo de até 30 dias, a contar do seu recebimento, prorrogável por até 90 dias. Nesse período, o procurador do Trabalho poderá colher informações preliminares para deliberar sobre a instauração de eventuais procedimentos.

A notícia de fato poderá ser arquivada quando constatado que o fato narrado não configura lesão ou ameaça de lesão aos interesses ou direitos tutelados pelo Ministério Público do Trabalho; o fato narrado já tiver sido objeto de investigação ou de ação judicial, ou já se encontrar solucionado; e quando for incompreensível.

Mais lidas
Últimas notícias