Covid: Fiocruz antecipa a entrega semanal de 3 milhões de doses ao PNI

A fundação alcança o quantitativo de 65,9 milhões de doses, já disponibilizadas ao Programa Nacional de Imunizações

atualizado 30/06/2021 19:34

fiocruzDivulgação/Fiocruz

A Fiocruz informou que por meio do seu Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos/Fiocruz) entrega, nesta quarta-feira (30/6), cerca de 3 milhões de doses da vacina contra a Covid-19 ao Ministério da Saúde. “Dessas,  148 mil doses são para o estado do Rio de Janeiro”, informa a fundação.

A remessa estava inicialmente programada para sexta-feira (2/7). “Desta forma, a Fundação alcança o quantitativo de 65,9 milhões de doses já disponibilizadas ao Programa Nacional de Imunizações (PNI/MS), incluindo também os 4 milhões de vacinas importadas prontas da Índia. Do total, mais de 18 milhões de doses foram fornecidas em junho”, diz a instituição.

Segundo a Fiocruz, também é aguardada a confirmação de antecipação dos próximos envios de Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA), “uma vez que a instituição permanece com capacidade de produção superior à de disponibilização do insumo. Com o IFA disponível, estão garantidas as entregas semanais até 23 de julho”, ressalta.

Transferência de tecnologia

A Fiocruz recebeu, no dia 2 de junho, os bancos de células e de vírus para produção do IFA. O insumo é necessário para a fabricação de vacinas contra a Covid-19. Com o IFA brasileiro, a Fiocruz não precisará importar matéria-prima da China para envasar os imunizantes.

A fabricação do IFA nacional começou neste mês de junho e ocorre no Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos, o laboratório Bio-Manguinhos. Segundo a Fiocruz, “o banco de células foi enviado em nitrogênio líquido, mantido a uma temperatura de aproximadamente -150º C, e o banco de vírus em gelo seco, a cerca de -80º C”.

Após todas as etapas, o laboratório enviará documentação à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para a concessão de registro da vacina fabricada com IFA nacional.

A expectativa é que as primeiras doses fabricadas com a matéria-prima sejam entregues no mês de outubro.

No momento, o Brasil vacina a população com três imunizantes contra a Covid-19: AstraZeneca e Pfizer, que têm registro definitivo aprovado, e Coronavac, autorizada para uso emergencial.

Mais lidas
Últimas notícias