Caso Mari Ferrer: colunista diz que não denunciaria estupradores da filha

Rodrigo Constantino afirmou que se a vítima chegasse em casa, gostaria de saber sobre as circunstâncias do crime

atualizado 04/11/2020 15:05

Reprodução de vídeoReprodução/Twitter

O colunista Rodrigo Constantino afirmou, nesta quarta-feira (4/11), que não denunciaria possíveis estupradores da sua filha, a depender das “circunstâncias” do ocorrido.

A declaração foi dada durante transmissão virtual realizada no canal do colunista no YouTube, quando Constantino comentava a sentença do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) a respeito do caso Mariana Ferrer.

O escritor defendeu que “dá boa educação para que isso não aconteça” com sua filha. “Mas se ela chegar em casa e disser: ‘Fui estuprada’. [Vou pedir para ela ] Me dar as circunstâncias”.

“Fui em uma festinha, eu e três amigas, tinham 18 homens, bebemos muito e eu estava ficando com dois caras, e eu acabei dormindo lá e eu fui abusada. Ela vai ficar de castigo feio e eu não vou denunciar um cara desses pra polícia, eu vou dar esporro na minha filha”, disse o colunista sobre uma situação hipotética envolvendo a filha.

Constantino ainda argumentou que “existe mulher decente ou piranha”. “Não pode falar essas coisas mais hoje em dia. Homem que faz uma coisa dessas não é decente, mas não existe também a ideia de mulher decente?”

“As feministas querem que não. Porque feminista é tudo recalcada, ressentida e, normalmente, mocreia, vadia, odeia homem, odeia união estável, casamento”, acrescentou.

Últimas notícias