Apuração do Carnaval do Rio tem protesto contra Marcelo Crivella

A torcida da Mangueira aguarda a decisão dos juízes aos gritos de "Fora, Crivella". O prefeito ameaça reduzir a verba das escolas

atualizado 06/03/2019 17:34

Pedro França/Agência Senado

Na Marquês de Sapucaí, no Rio de Janeiro, onde ocorre neste momento a apuração das notas do desfile das escolas de samba, as torcidas chegaram aos poucos. A da Mangueira, que solta fogos de artifício e grita “Fora, Crivella [Marcelo Crivella, prefeito do Rio]”, mostra a maior animação. O prefeito Marcello Crivella (PRB) ameaça reduzir a verba das escolas.

A minutos antes do início da abertura dos envelopes, Tia Surica, tradicional portelense, disse estar confiante na vitória, mas evitou comemorar antecipadamente. “Cabeça de jurado é uma caixinha de segredo. Não é possível prever nada”, afirmou a sambista.

Apuração
A disputa pelo título do desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro deve ser decidida, na tarde desta quarta-feira (6/2), entre a emoção e a frieza dos quesitos — que são nove e não incluem o sentimento. Quatro escolas apresentaram desfiles plasticamente semelhantes — carros alegóricos e fantasias bem feitas, luxuosas e bem acabadas.

Portela e, principalmente, Mangueira, que desfilaram na segunda noite, fizeram exibições contagiantes. Envolveram o público a ponto de muita gente chorar nas arquibancadas e frisas. Tijuca e Viradouro, que se exibiram na primeira noite, apresentaram desfiles tecnicamente muito corretos e mais teatrais do que a outra dupla. Ficaram, porém longe de cativar o público da mesma forma.

Veja fotos do primeiros dia de desfiles das escolas do Grupo Especial no Rio:

0

Confira o segundo dia de apresentações na Marquês de Sapucaí: 

0

Últimas notícias