*
 

Uma tragédia fez a vida imitar a arte. Nesta quinta (15/9), o ator Domingos Montagner, 54 anos, foi mergulhar na região de Canindé de São Francisco, em Sergipe, e não voltou à superfície. Uma equipe de resgate foi acionada, mas infelizmente o ator foi encontrado sem vida. Segundo informações do Corpo de Bombeiros, o ator foi pego por redemoinho. O corpo dele foi encontrado a 30 metros de profundidade, preso em uma rocha. Montagner deixa mulher e três filhos.

Protagonista de “Velho Chico”, Domingos, 54 anos, estava gravando as cenas finais da novela global. Na trama, seu personagem Santo foi baleado e, após, sofrer com os ferimentos, segue para o rio São Francisco e é levado pela correnteza. Santo, então, é resgatado pelos índios da região e se recupera.

A TV Globo enviou um comunicado confirmando a morte do ator. Veja abaixo:

O ator Domingos Montagner, 54 anos, que desapareceu na tarde desta quinta-feira, dia 15, enquanto nadava no rio São Francisco, no município de Canindé do São Francisco, em Sergipe, foi encontrado morto perto da usina de Xingó, preso nas pedras, a cerca de 30 metros de profundidade.

Hoje, o ator Domingos Montagner gravou cenas de Velho Chico na parte da manhã e, depois de gravar e de almoçar, foi tomar um banho de rio. Durante o mergulho, o ator não voltou à superfície. A atriz Camila Pitanga, que estava no local, avisou à produção, que iniciou imediatamente as buscas, com a ajuda de helicópteros do Grupamento Tático Aéreo, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e pescadores da região.

Um dos grandes atores da atualidade e intérprete do personagem Santo na novela ‘Velho Chico’, Domingos nasceu em São Paulo. Antes de se tornar conhecido nacionalmente por meio de personagens marcantes de novelas e minisséries, trilhou uma bem-sucedida carreira no teatro e no circo, sua grande paixão. Formado pelo Circo Escola Picadeiro, criou em 1997, ao lado do diretor Fernando Sampaio, o La Mínima. Com 12 espetáculos, o grupo obteve grande destaque em 2008 com a montagem ‘A Noite dos Palhaços Mudos’, que rendeu a Domingos o Prêmio Shell de Melhor Ator. Em 2003, em mais uma parceria com Sampaio, criou o Circo Zanni, do qual era diretor artístico.

A estreia na TV foi no seriado ‘Mothern’, no GNT, em 2008. A participação especial como o personagem João abriu as portas da televisão para Domingos que, em pouco tempo, se tornou um dos atores mais queridos e elogiados do país. Em 2010, ele participou do seriado ‘Força Tarefa’, de Marçal Aquino e Fernando Bonassi, e da série ‘A Cura’, de João Emanuel Carneiro. Com o sedutor Carlos, da série ‘Divã’, em 2011, chamou definitivamente a atenção do público, que voltou a aplaudi-lo no mesmo ano, quando viveu o Capitão Herculano Araújo na novela ‘Cordel Encantado’, de Thelma Guedes e Duca Rachid. Pelo papel, recebeu os prêmios Contigo e Melhores do Ano (Domingão do Faustão), ambos na categoria Ator Revelação.

Em 2012, ele interpretou seu primeiro protagonista, Paulo Alberto Ventura, presidente do Brasil no enredo da minissérie ‘O Brado Retumbante’, de Euclydes Marinho. Mais um personagem marcante, pelo qual recebeu o prêmio Contigo na categoria de Melhor Ator de Série/Minissérie. No mesmo ano, atuou em ‘Salve Jorge’, de Glória Perez, como Zyah. O sucesso na TV o levou ao cinema em 2012, com uma participação especial no longa-metragem ‘Gonzaga – de Pai Pra Filho’, de Breno Silveira.

Em 2013, voltou a viver um personagem criado pelas autoras Thelma Guedes e Duca Rachid, o revolucionário Raimundo Fonseca (Mundo) da novela ‘Joia Rara’. Em 2015, interpretou Miguel, o protagonista de ‘Sete Vidas’, de Lícia Manzo, e deu vida ao icônico delegado Espinosa, criado pelo escritor carioca Luiz Alfredo Garcia-Roza e adaptado para a televisão na série ‘Romance Policial – Espinosa’, do GNT. Ainda no ano passado, o ator participou dos longas-metragens ‘Vidas Partidas’ (Marcos Schechtman),  ‘De Onde te Vejo’ (Luiz Villaça) e ‘O Outro Lado do Vento’ (Walter Lima Jr). No final de agosto, o ator lançou ainda a comédia ‘Um Namorado para Minha Mulher’, de Julia Rezende

Domingos deixa a mulher, Luciana Lima, e três filhos.

Comunicação Globo
Rio de Janeiro, 15 de setembro de 2016

O acidente no rio São Francisco aconteceu após o ator almoçar com Camila Pitanga, atriz que interpreta seu par romântico em “Velho Chico”. Segundo informações, ele teria ido dar um mergulho após a refeição e não retornou mais. A polícia e o Corpo de Bombeiros foram acionados e as buscas duraram mais de uma hora.

“O local do desaparecimento foi o pior lugar para se tomar banho. Ali há um desencontro das águas e formam-se redemoinhos. Realmente é onde o rio é mais complicado, há vários retornos da água”, contou ao UOL o soldado Carlos Santos, da PM de Sergipe.

Carreira
Nascido em São Paulo, Montagner começou a carreira artística no circo, no início dos anos 1980. Em 1997, fundou a companhia La Mínima ao lado de Fernando Sampaio. Desde sempre um defensor dos trabalhadores do circo, ele também ajudou a criar o Circo Zanni em 2003, um coletivo que apoia pequenos projetos em cidades brasileiras.

Antes, entre 1999 e 2003, circulou com a Central do Circo, um núcleo de pesquisa de artes circenses. Em 2008, Montagner e Sampaio venceram o Prêmio Shell de Teatro de melhor ator pelo espetáculo “A Noite dos Palhaços Mudos”, baseado em história de quadrinhos de Laerte.

Pouco a pouco, a trajetória no teatro tradicional, iniciada nos anos 2000, também levou o ator para a televisão e o cinema. Estreou nas telas em 2009, com o telefilme “Paredes Nuas”, de Ugo Giorgetti. Nos dois anos seguintes, acumulou as séries globais “Força Tarefa”, “A Cura” e “Divã” até fazer sua primeira aparição em novela: “Cordel Encantado”, na faixa das 18h.

Montagner passou a emplacar papéis importantes em mais atrações da Globo. Protagonizou a minissérie “O Brado Retumbante” como o presidente fictício Paulo Ventura. Também em 2012, foi visto na novela “Salve Jorge”, no horário nobre. Após aparecer em “Joia Rara” (2013) e coprotagonizar “Sete Vidas” (2015) com Isabelle Drummond, dois programas da faixa das 18h, Montagner finalmente chegou ao seu grande trabalho em “Velho Chico”, no papel de Santo dos Anjos (foto à esquerda). Segundo o jornalista do G1, Mauro Ferreira, Domingos não iria fazer a novela “Velho Chico”, mas sim a próxima das 20h. No entanto, ele decidiu trocar o papel com José Mayer.

Em 2016, foi visto recentemente no cinema com o romance “De Onde Eu Te Vejo”, em que contracena com Denise Fraga, e com a comédia “Um Namorado para Minha Mulher”, em cartaz nos cinemas.

 

 

COMENTE

Domingos Montagner
comunicar erro à redação