A Itália já foi grande: relembre momentos brilhantes da Azzurra

SAMIR MELLO

A Itália perdeu a chance de disputar a Copa do Mundo na última quinta-feira (25/3), ao ser surpreendida pela modesta seleção da Macedônia do Norte

Esta é a segunda vez consecutiva que a tradicional seleção italiana ficará de fora de um Mundial, já que, para a Rússia, em 2018, a squadra azzurra também não conseguiu a classificação

Antes, nos mundiais de 2014 e 2010, disputados no Brasil e na África do Sul, a Itália não havia conseguido passar da primeira fase das disputas

As gerações atuais podem não acreditar, mas a seleção italiana já foi grande, vencedora e uma das principais forças do futebol mundial

Essa história vitoriosa começou cedo, com a Azzurra sendo campeã das edições mundiais de 1934, em casa, e 1938 (França), guiada por nomes históricos, como Giuseppe Meazza e Silvio Piola

A Itália demoraria a reencontrar a glória, mas ela veio em grande estilo – e de forma traumática para os brasileiros -, em 1982, com grandes atuações de Paolo Rossi e da muralha Dino Zoff

O tetracampeonato veio em 2006, com a brilhante geração de Francesco Totti, Alessandro Del Piero, Gianluigi Buffon, Andrea Pirlo e Fabio Cannavaro batendo a França de Zidane na final

A seleção italiana ainda é bicampeã europeia (1968 e 2020) e tem uma medalha de ouro olímpica, conquistada na edição de 1936, em Berlim (Alemanha)

A última conquista europeia, contra a Inglaterra, que ocorreu há menos de um ano, parecia uma redenção dos italianos após os recentes fracassos em mundiais

Afinal, o time de Roberto Mancini vinha apresentando um futebol mais ofensivo, e o grupo, uma mistura de juventude com experiência, parecia mais unido e chegou a somar 37 jogos de invencibilidade

A tradição, no entanto, não foi capaz de se impor, e a Itália sofreu com lesões e inconsistência, não conseguindo resultados necessários para assegurar presença no Catar

TEXTO:
Samir Mello

IMAGENS:
Getty Images