Após acusações de racismo, Disney vai repaginar tradicional Splash Mountain

Instalação passará por reformulação e ganhará novo tema inclusivo e com direito a “uma aventura musical”

atualizado 25/06/2020 20:23

Splash-Mountain DisneyDivulgação

A primeira princesa negra da Disney, Tiana, finalmente ganhará destaque nos parques da empresa. A Splash Mountain, uma das atrações mais visitadas do complexo – tanto na Califórnia, quanto no Magic Kingdom, na Flórida – será repaginada com inspiração no filme A Princesa e o Sapo, de 2009.

Tiana ocupará um espaço emblemático nos parques.  A mudança ocorre após uma nova onda de críticas à atual inspiração da montanha-russa, o filme A Canção do Sul. O longa foi lançado em 1946 e tirado de circulação pela Disney por conta do teor racista.

De acordo com o anúncio da Disney, a reforma da Splash Mountain deve situar a montanha-russa em um cenário imediatamente posterior ao fim da animação de 2009, com Tiana e Louis se preparando para celebrar seu primeiro festival de Mardi Gras, festa tradicional em Nova Orleans (EUA) e onde se passa a história da princesa.

A empresa afirma que o tema será “inclusivo” com direito a “uma aventura musical”, mas não deu detalhes de quando a atração será reinaugurada ao público em ambos os parques.

Publicidade do parceiro Metrópoles
0
Polêmicas

A história da Splash Mountain é tão complexa quanto a do filme que lhe serviu de inspiração. Desde seu lançamento, em 1946, A Canção do Sul foi alvo de críticas e protestos por conta do uso de estereótipos racistas e do retrato nostálgico da escravidão nos Estados Unidos.

Com as reclamações, a Disney passou a tratar a produção como patinho feio de seu catálogo e nunca mais exibiu o filme em qualquer formato de home video nos EUA, incluindo o Disney+.

Porém, até então, o sucesso da montanha-russa, aberta em 1989 na Califórnia e em 1992 na Flórida, fazia com que o legado de A Canção do Sul permanecesse vivo e, pior, rentável.

Mais lidas
Últimas notícias