Roteiro verde: cinco lojas de plantas que valem a visita

Selecionamos endereços cheios de charme e que oferecem um novo olhar para o mercado de paisagismo e decoração

atualizado 15/07/2018 14:50

Cultivar plantas dá mais vida ao ambiente. As opções são diversas e não se restringem a quem tem tempo de sobra. As suculentas, por exemplo, são espécies de fácil manutenção – algumas só precisam ser regadas uma vez por semana – e seguem em alta entre as mais procuradas.

A demanda por verde é uma tendência. Nos últimos anos, Brasília ganhou diversos endereços charmosos onde é possível comprar espécies diferenciadas e que valem a visita. Separamos cinco deles para você conhecer ainda neste final de semana. Confira:

Petit Jardin
A Petit Jardin é um recanto verde nas proximidades da agitada W3 Norte. Fabiana Ungaretti e o companheiro, Gustavo Goes, abriram a operação no quintal de casa para vender suculentas e cactos em vasos de concreto. Hoje, oferecem também opções com folhagem mais resistentes.

Outro atrativo da Petit Jardin é o Coma no Jardim, projeto feito em parceria com o músico Esdras Nogueira e Mariana Escosteguy Cardoso, do Coma Lá em Casa. Esdras e Mariana cuidam do menu, Fabiana e Gustavo, da ambientação. A iniciativa é realizada sempre no período de seca, aproveitando o clima para servir as refeições ao ar livre. A próxima edição está prevista para o dia 2 de agosto, com muito vinho e lámen.

Paisagismo do Cerrado
Recanto fofo, o foco da loja são as plantas de baixa manutenção – como cactus e suculentas – , ideais para quem tem uma vida agitada ou costuma esquecer de regar as espécies. As sócias Adriana e Roberta de Sá, mãe e filha, buscam sempre trazer novidades para os clientes.

O diferencial da Paisagismo do Cerrado é a forma de venda. Todas as plantas têm drenagem, adubo e vermífugo e os vasos são escolhidos a dedo. As sócias buscam valorizar os produtores locais, com a compra de plantas no Distrito Federal. Já as flores usadas em decoração de casamentos e grandes eventos vêm do município de Holambra, em São Paulo.

Flô
Os arranjos da Flô são um encanto. A proprietária da loja, Mariana Oliveira, estudou na FlowerSchool New York e usa o estilo naturalista nos buquês, com design orgânico e flores mais livres. Coloridos, os arranjos seguem uma paleta de cores pensada pela florista com ênfase em elementos do Cerrado.

Assim como os demais profissionais citados no roteiro, Mariana prefere os produtos locais aos de outras cidades. Na Flô, é possível comprar buquês que fogem do tradicional, unindo flores delicadas com suculentas, por exemplo.

Matsuflora Garden Center
Uma das lojas mais completas do Centro-Oeste, a Matsuflora oferece diversas opções, desde pequenos jarros a flores importadas para casamentos. São 28 mil m² de espaço, localizado em Vicente Pires.

A novidade é o serviço de produção de buquês. O cliente seleciona as flores que gosta, a loja finaliza e entrega o arranjo. Se preferir, é possível contar com a ajuda de um funcionário para fazer a combinação.

 

Ozumi
A diversidade de cores e flores atrai quem passa pela Ozumi. O designer Vicente Ozumi começou fazendo arranjos para eventos e, com o passar do tempo, criou um estilo próprio. As produções são volumosas e coloridas. Vicente deixa o cliente livre para opinar: “Geralmente eles indicam o estilo que os atrai. Se é mais romântico, extrovertido ou discreto”.

A origem japonesa é uma forte influência para Vicente, que trabalha com a mãe, Emília Ioshie, e a irmã e sócia Sandra Ozumi. Desde as técnicas utilizadas para elaborar os arranjos até os detalhes da dobradura do papel que envolve o buquê, fazendo um origami, oferecem um DNA próprio.

Últimas notícias