*

876 mil seguidores no Instagram, três EP’s lançados no Spotify, incontáveis fotos em redes sociais com modelos e cantores famosos e sempre vestindo roupas de grife. Essa é certamente a descrição perfeita de diversas celebridades e influenciadores digitais. A diferença entre Miquela Sousa e o restante é que ninguém tem certeza se ela é real.

A descrição on-line de Lil Miquela, como é conhecida, é de uma jovem hispano-brasileira de 20 anos, morando na Califórnia e realizando trabalhos como modelo, produção musical e artes visuais. O perfil dela nasceu em 2016 no Instagram e, desde então, vêm perturbando seus seguidores com a dúvida.

Bem vestida, sempre coberta de acessórios e roupas de grife, a modelo nunca se pronunciou sobre sua existência. Quem esteve mais próximo de descobrir a realidade por trás da conspiração foi o repórter Shane Dawson. Após um longo período tentando contato, ele finalmente conseguiu uma entrevista. No entanto, a condição de Miquela foi de falar por telefone – nada de um encontro pessoal ou mesmo via Skype.

Segundo Dawson, todas as respostas foram carregadas de ambiguidade. Quando questionada sobre sua personalidade, ela respondeu: “Isso pode parecer chocante, mas sou a Miquela.” O repórter insistiu, falando sobre os rumores de que ela era uma computação gráfica. Ela rebateu, “Sempre me perguntam a mesma coisa, se sou verdade ou mentira. Mas eu estou aqui, não estou? Estou falando com você.”

Desde a criação de suas redes sociais, uma série de pesquisadores tenta, sem sucesso, desvendar o tal mistério. Em entrevista ao The Independent, Douguie Cross, diretor da companhia de animação digital TIGERX, disse crer que a modelo é uma combinação de ser humano com adaptações em tecnologia 3D.

Ela realmente parece real. O que faz as pessoas acreditarem se tratar de um ser humano é o rosto, coberto de detalhes e em um formato perfeito."
Douguie Cross

Ativismo
Apontada também como mais uma personagem para influenciar seguidores a quererem copiar seu estilo de vida, Miquela vai além. Apesar de estar constantemente vestida de Chanel e Prada, utiliza suas plataformas no Facebook, Instagram, Twitter e Tumblr para dar suporte a causas feministas, defesa de refugiados, direitos dos transgêneros, proibição legal de armas de fogo e até questões como Black Lives Matter – que está, inclusive, em sua biografia no Instagram.

Não se sabe se sua existência é uma ação de marketing, um desafio de algum estúdio de produção de realidade 3D ou se é alguém verdadeiramente se modificando e intrigando mais de 870 mil pessoas ao redor do mundo. Seja o que for, vale a pena ser um seguidor de Lil Miquela.



COMENTE

 
internetmodelodigital influencerinfluenciadores digitaiscomputação gráfica

Leia mais: Comportamento