*

Abrir o próprio negócio é mais do que buscar uma fonte de renda. Para muitas pessoas, essa iniciativa representa uma mudança de vida. Com isso em mente, o Inova Jovem Empreendedor reúne 2 mil jovens de comunidades periféricas do Brasil e oferece cursos sobre carreira. Uma das finalistas do projeto é Aline Paiva, de 22 anos, moradora de Brazlândia.

Arquivo pessoalA jovem criou uma sex shop on-line chamada Puro Prazer. Antes de saber do projeto de empreendedorismo, Aline já tinha feito pesquisa sobre o mercado erótico. “É uma área que gera bastante lucro e sem muita concorrência na minha cidade”, comenta. “Conhecia várias pessoas interessadas nos produtos, mas com vergonha de ir a uma loja especializada”.

Para resolver isso e manter a discrição desejada pelos clientes, a jovem oferece os produtos pelo Instagram. Além do serviço de compras on-line, Aline envia fotos e informações específicas sobre os brinquedos pela internet e pode levá-los até a casa dos consumidores, como eles preferirem.

Apesar de ser um dos destaques do Inova Jovem Empreendedor, Aline não tinha ambição de abrir uma empresa antes do projeto. “Sempre quis ser funcionária pública, mas, como não abriu vaga para minha área de interesse e também não estava conseguindo arrumar outro emprego, decidi começar um negócio”, confirma. Agora, ela pegou gosto pela nova profissão e pretende juntar o dinheiro das vendas para abrir uma loja física da Puro Prazer.

Premiação
O Inova Jovem Empreendedor vai premiar os três melhores projetos entre 30 de destaque. A cerimônia de entrega dos troféus será na próxima sexta-feira (13/7), na Praça dos Três Poderes.

A honra vai para ideias que contemplem as seguintes categorias: aumento do percentual da renda obtida no período; mudança social ocorrida; afastamento da criminalidade e das drogas; busca por alfabetização; e desenvolvimento de uma área de negócios ainda não explorada no Entorno.