*

Quase toda mulher quando engravida faz ensaios fotográficos para eternizar a fase “barrigão”. Este é um momento da família em que, normalmente, participam os pais do futuro bebê. Mas a ausência do marido não foi um empecilho para Paula realizar o sonho de ser fotografada.

Pelo Facebook, o fotógrafo Ricardo Leão contou a história. Acostumado a receber em seu estúdio mulheres grávidas em busca de um ensaio para registrar este momento emocionante, Ricardo conheceu Paula, a recém-viúva que gostaria de incluir o marido morto no álbum de fotos da gravidez.

E assim o destino me trouxe Paula e seu desejo de eternizar aquele momento tão especial em imagens que jamais caberiam em minhas lentes ou retratariam com fidelidade seu desejo. E assim chegou Paula com um sorriso aberto do tamanho de sua ausência, preenchendo aquele infinito segundo de silêncio com um olhar tão doce e confortante que minhas aflições logo se acalmaram, sem trocarmos uma palavra ela me disse: está tudo bem. O amor ultrapassa a razão, acalma, acolhe e quando percebi era dela que vinha o conforto necessário para aquele momento único em nossas vidas. O amor certamente é maior força desse mundo, dele extraímos os sonhos, matéria prima para o dia seguinte. Fonte de nossos vínculos e escolhas que desejamos manter perto em nossa travessia pelos caminhos da vida. O amor é única coisa que pode anestesiar a dor da alma e nos fazer acreditar no improvável, superar o inesperado e ainda sim ser generoso. O amor transcende a matéria, preenche a ausência, consola o impensável. Aprende-se a amar todos os dias, em todos os encontros, em diversas formas. O amor está ao lado, na falta, nas lembranças, espalhadas em fotos de um dia comum. O amor está em Paula, se chama Paula, que está em Allan, que está com Deus. Eterno amor!

Confira os cliques:



COMENTE

 
gravidezensaio fotográfico

Leia mais: Comportamento