Empresa oferece “licença-menstruação” de 10 dias por ano para funcionárias

A medida garante um dia de licença por ciclo menstrual e inclui pessoas trans

A empresa de entrega de comida Zomato, uma das maiores do ramo na Índia, anunciou que vai oferecer para as funcionárias, mulheres cis e trans, uma espécie de “licença-menstruação”, anunciaram à CNN norte-americana. Serão dez dias de folga por ano, sendo um dia por ciclo menstrual. A companhia defende que a ação tem o objetivo de tratar a menstruação como algo natural do corpo humano, para deixar de ser um tabu.

Segundo o fundador e diretor-executivo da empresa, Deepinder Goyal, as pessoas que desejarem solicitar o benefício não devem ter vergonha ou receio. “Não deve haver nenhuma vergonha ou estigma associado ao pedido de licença por menstruação. Você deveria se sentir à vontade para anunciar às pessoas em grupos internos ou em e-mails que está no seu dia de licença menstrual”, explicou, em comunicado aos trabalhadores da empresa.

Comentários maldosos ou de cunho sexual em relação ao pedido da licença devem ser encaminhados à chefia, segundo o diretor-executivo. “Isso faz parte da vida e, embora não entendamos totalmente o que as mulheres passam, precisamos confiar nelas quando dizem que precisam descansar”, escreveu.

1/3
Annemarie Gorissen/istock
A medida é considerada um marco no país
Com ela, as funcionárias cis e trans garantem um dia de licença por ciclo menstrual

“Eu sei que as cólicas menstruais são muito dolorosas para muitas mulheres — e temos que apoiá-las se quisermos construir uma cultura verdadeiramente colaborativa na Zomato”, completou Goyal.

A medida é considerada um marco no país, conhecido pelo tabu e preconceito com a menstruação. Durante o período menstrual, é comum que as mulheres não tenham permissão para cozinhar ou tocar em ninguém, sendo consideradas como “impuras e sujas”. No entanto, há locais que lutam para mudar a cultura do preconceito. Entre eles, um dos estados com maior população demográfica, Bihar, oferece dois dias de licença por mês, sob a justificativa de “motivos biológicos”.