*

Em tempos de medo e valorização cada vez maior das questões ligadas à segurança, as babás eletrônicas são ferramentas que colaboram com a vigilância (e tranquilidade) dos pais, mas também podem ser um risco à defesa familiar.

De acordo com especialistas consultados pela Proteste, não é difícil invadir dispositivos desse tipo. Eles são um elo fraco de uma rede doméstica e, por isso, podem ser a porta de entrada de hackers.

Em alguns casos, por ser possível observar o que está sendo gravado em tempo real através dos aparelhos, as imagens se tornam registros factuais da intimidade e rotina de uma casa ou família.

 

Para evitar que estranhos mal-intencionados ameacem a segurança do seu bebê e da sua família, confira essas dicas:

• Verifique se a câmera se move sozinha e se há sons estranhos, principalmente de pessoas falando;

• Escolha senhas fortes e troque-as frequentemente;

• Não use redes wi-fi públicas para acessar a babá eletrônica;

• Mantenha o firmware do aparelho sempre atualizado.