Após morte de bebê fora do útero, casal descobre gêmeo saudável

O outro bebê só foi notado no útero da mãe três meses após a retirada do primeiro feto

A cabeleireira Sadie Brittle, de 32 anos, teve diagnóstico de gravidez ectópica (fora do útero) na oitava semana e precisou fazer uma cirurgia para a retirada do feto. Sadie, que mora na região de Warwickshire, no centro da Inglaterra, conta que ficou “arrasada” quando descobriu que o óvulo fertilizado havia se alojado em uma das trompas de Falópio, inviabilizando a gravidez e provocando uma hemorragia.

Para se recuperar do trauma, ela, o marido Gary e a filha do casal de 4 anos foram para a Espanha. Durante a viagem, ela estranhou o fato de sua barriga continuar crescendo. Foi então que descobriram o gêmeo escondido. Os médicos não perceberam que outro bebê estava se desenvolvendo normalmente no útero — ou seja, era uma gestação heterotópica.

Sadie se submeteu a mais exames, que detectaram a gestação, então no quinto mês. Isso quase três meses após o primeiro incidente. A hemorragia interna causada pela gravidez ectópica escondeu dos médicos o fato de que havia outro bebê no útero da cabeleireira – e que ele estava vivo.

Teddie nasceu há alguns dias, por uma cesariana, pesando três quilos e muito saudável. “Eu nem acredito que ele está aqui. E que está bem”, disse Sadie. “Ficamos muito aliviados quando vimos que estava tudo bem com Teddie. Mas foi uma mistura de emoções, já que ele deveria ter tido um irmão ou irmã”, comentou o pai, Gary.

Fenômeno raro
A gravidez heterotópica é um fenômeno no qual um embrião se aloja no útero e outro, fora dele. Acontece uma vez a cada 30 mil casos.

1/2
Sadie e Gary Brittle, pais de Teddie, tiveram a melhor surpresa após perder um dos bebês
A filha mais velha, de 4 anos, segura Teddie