*

Katie Chamberlain comprou balões para brincar com os filhos, mas a diversão terminou em tragédia. O filho mais nova da família, Justin, aspirou um dos objetos quando os pais não estavam olhando e morreu asfixiado.

A americana é mãe de outras três crianças e resolveu usar a situação para alertar outras famílias. Em um relato emocionante, Katie conta como, em um momento de descuido, Justin colocou um balão na boca e instantaneamente ficou com os lábios azuis. Ela tentou socorrer o bebê com a manobra de Heimlich e ligou para a emergência.

A mãe tentou fazer ressuscitação cardiopulmonar (RCP) e a ambulância chegou em cerca de três minutos. “Eles (os médicos) trabalharam nele (Justin) por 30 minutos, mas era tarde demais. Tudo por uma bexiga idiota”, escreveu em seu Facebook. “Não vale a pena o risco enorme por alguns minutos de diversão. Não vale a pena a culpa horrível que você vai sentir”.

No texto, Katie reforça como é importante pais e responsáveis saberem realizar RCP e manobra de Heimlich. Ela alerta também sobre a quantidade de casos de mortes de crianças por aspirarem balões que, segundo ela, é o brinquedo que mais causa mortes na infância.