*

A cultura machista não dá trégua um dia sequer. A cada hora e meia uma mulher morre pelas mãos de um homem no Brasil. É o que mostram levantamentos da organização Agência Patrícia Galvão, uma das maiores referências no país sobre pesquisa e políticas do universo feminino, incluindo empoderamento, violência doméstica e feminicídio. A taxa coloca o país como o 5º com maior índice de assassinatos de mulheres no mundo.

Embora a polícia contabilize, diariamente, inúmeros casos bárbaros de feminicídios em solos brasileiros, como a chacina em Campinas (SP) que vitimou nove mulheres na noite de réveillon deste ano, esse tipo de crime virou motivo de piada de um jornalista.

Em sua conta pessoal no Twitter, Alexandre Garcia fez um post, na última quarta-feira (1º/2), dizendo que “Feminicídio é invenção de quem pensa que homicídio é matar ‘hômi'”.

O comentário infeliz, no entanto, não parou por aí. Logo em seguida, o jornalista escreveu outro tweet: “Me ajude, então: assassinato de homem vulnerável seria ‘androcídio’?”. As publicações revoltaram os internautas. Muitos criticaram a postagem de Alexandre Garcia.

“Alguém tira o Alexandre Garcia do Twitter. Além de passar vergonha, vai perder todo o respeito que ainda tinham por ele”, escreveu uma seguidora. Outra pessoa apontou: “‘Decepção’ é o que eu sinto quando vejo um jornalista com tanto destaque sendo tão BURRO”.