Além do bumbum: conheça o lado empreendedor de Gracyanne Barbosa

Ao Metrópoles, musa comenta sobre fase em que dormiu na rua, fixação do público por seu bumbum e sucesso como empresária

Poucas celebridades brasileiras fazem tanto sucesso como Gracyanne Barbosa. Uma rápida pesquisa no Google comprova que praticamente nenhum passo da rotina da ex-bailarina e modelo passa despercebido pela mídia e o público.  Para se ter ideia, nem mesmo diante da pandemia do coronavírus seu nome saiu dos holofotes.

Com o fechamento de estabelecimentos comerciais e serviços, incluindo academias, a ex-bailarina e modelo brasileira foi citada como exemplo em vários memes. Afinal, se a maior autoridade em corpo sarado no país estava de quarentena, talvez fosse bom repensar a insistência em sair para malhar.

O que nem todo mundo sabe é que por trás de uma rotina rigorosa de atividades físicas e muitos músculos, há uma mulher estratégica e empreendedora. Características que, somadas a outras experiências marcantes de sua vida, lhe ajudaram a conquistar reconhecimento e conciliar vários negócios que levam seu nome.

Em entrevista exclusiva ao Metrópoles, ela conta que percebeu o talento para empreender muito cedo. “Aos 9 anos, já vendia bolo e docinhos que minha irmã fazia, levava na escola, no treino de vôlei e também no nosso condomínio”, recorda.

Juventude humilde

A trajetória rumo ao sucesso, porém, não foi fácil. Nascida em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, Gracyanne se mudou para a capital carioca aos 16 anos após ser aprovada em Direito na concorrida Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Chegou com uma mochila nas costas e R$ 300 reais no bolso, que acreditava ser suficiente para viver até conseguir emprego. Demorou mais que o previsto e, em dias difíceis, ela teve que dormir nas ruas de Copacabana.

1/5
Gracyanne é advogada, ex-bailarina, modelo, influenciadora, empresária e esposa do cantor Belo
Aos 36 anos, diz que nunca esteve com a mente tão ativa e inspirada
Por isso pretende aumentar o rol de marcas que levam seu nome
Ela começou a carreira artística como dançarina do grupo Tchakabum
O casamento com Belo ocorreu em 2012

O primeiro emprego foi em um hostel em que a então estudante fazia faxina em troca de moradia. Em frente havia uma academia que Gracyanne sonhava em frequentar. Naquela época, ela não podia imaginar que, anos depois, as maiores do segmento estariam dispostas a pagar a ela por suas dicas e presença influente.

Até se formar na UFRJ, virar dançarina do Tchakabum e se tornar uma figura importante do carnaval carioca, a morena passou por vários perrengues.

Aos 36 anos, mais de 8 milhões de seguidores no Instagram e várias empresas para administrar, ela comemora sua melhor fase. E não se importa, nem um pouco, com a exaltação às suas curvas, pelo contrário.

“Sou bastante feliz e grata pelo trabalho da mídia comigo. Sempre respeitoso e me abrindo espaço. Entendo quando dão destaque ao meu corpo, isso chama atenção para que olhem mais para mim. Dentro de mim habita essa e muitas outras Gracyannes. Não me sinto resumida a isso e não me chateia”, afirma.

“Sinto do público carinho, apoio e admiração pela minha estética. Cada vez mais, recebo aprovação. É positivo ver que cada vez mais a sociedade está aberta a respeitar e admirar aquilo que soa diferente.”

Gracyanne foi dançarina do Tchakabum nos anos 2000
O lado empresária

A juventude humilde e o trabalho duro no início da carreira de fato fizeram de Gracyanne uma mulher capaz de administrar várias rotinas e conciliar a vida de empresária, influencer e musa fitness.

“Meu dia é uma loucura. Isso não é um mistério. Trabalho com o público e o brasileiro é um povo batalhador. Acorda cedo e corre atrás. Então, olhar para o povo é um reflexo, e que volta com ainda mais energia para equilibrar tudo do dia a dia e ainda deitar a cabeça antes de dormir e fazer meu saldo positivo, ver que valeu a pena.”

Além de 10 unidades da Pink Lash no Rio de Janeiro, franquia de alongamento de cílios, Gracyanne é proprietária da MyFit, clínica de estética focada em tratamentos aliada a um treino otimizado, na capital paulista. “Para quem não tem tempo e não consegue seguir uma alimentação 100% saudável”, explica. Ela também tem uma linhas de suplementos, marmitas e squeezes.

Todos os investimentos indo “muito bem, obrigada”. Mas ela não pretende parar. Vem mais por aí.

“Estou sempre pensando em novos negócios. No momento, tenho alguns projetos e estou estudando o mercado. Me sinto forte e mais criativa que nunca. Quero mostrar muita novidades que possam inspirar e também fazer parte do cotidiano do brasileiro”, antecipa.

“Trajetória difícil, mas fundamental”

Em tempos de ameaça de crise econômica, a modelo aconselha empreendedores a não desanimarem e revela o que diria à menina que dormiu na rua há 20 anos.

“Não desista. É difícil, porém, não tenha tanto medo. As coisas darão certo. Continue seguindo sua intuição, não dê bola para julgamentos. Siga leal e verdadeira com o seu interior. Seja corajosa de viver à frente da linha de batalhas, confiando na sua voz interna e realizando suas vontades pessoais”, filosofa.

“Foi uma trajetória dificil, mas também fundamental para meu amadurecimento. Acreditei em mim e corri atrás de oportunidades. Fui feliz nas minhas escolhas, quando menina. Acreditei na minha voz interna, que sempre foi minha forte e confortante amiga”, finaliza a musa fitness.