*

Coragem e autenticidade são características que não faltam para Emma Waston. A atriz, que assopra as velinhas nesta segunda (15/04/19), cresceu diante das câmeras como a Hermione, da saga Harry Potter, e não teve medo de mudar quando cortou o cabelo radicalmente para viver Sam, em As Vantagens de Ser Invisível.

Para lutar pelas mulheres, a artista também não mede esforços. Ela já mostrou diversas vezes que é uma defensora ávida da igualdade entre homens e mulheres.

O Metrópoles separou sete momentos empoderados de Emma para celebrar esse ícone do feminismo. Confira abaixo: 

1. Embaixadora da ONU
Com 24 anos, Emma fez um discurso memorável como embaixadora da Boa Vontade da Organização das Nações Unidas (ONU) em Nova York, lançando a campanha HeForShe, com o objetivo de unir homens e mulheres em busca de igualdade entre os gêneros.

2. 100 livros no metrô
A atriz espalhou pelas estações de Londres, em 2016, 100 unidades de Mom and Me and Mom, clássico feminista da autora americana Maya Angelou, e escreveu dedicatórias em cada uma das obras. Uma maneira de incentivar os cidadãos a lerem e compartilharem livros no transporte público da cidade.

3. Clube de leitura
A artista criou no Twitter o clube de leitura Our Shared Shelf (nossa estante compartilhada, em tradução livre), no qual escolhe títulos de temáticas feministas e pede aos seguidores lerem em determinado período de tempo. Logo depois, todos são convidados a discutirem suas impressões pelas redes sociais de Emma.

4. Uma Bela atual
Emma conseguiu dar um tom feminista à princesa do clássico da Disney A Bela e a Fera. A personagem é uma inventora que cria uma máquina de lavar roupas para ter mais tempo para tarefas mais interessantes. A artista considera Bela um modelo a ser seguido. “Ela é curiosa, compassiva e tem a mente aberta”, afirmou à revista britânica Total Film

5. Carta aberta ao prefeito
Em maio de 2016, a artista e a escritora J. K. Rowling, entre outras ativistas, pediram, em uma carta aberta ao prefeito de Londres, Sadik Khan, que uma estátua em frente ao parlamento fosse erguida em homenagem às primeiras sufragistas. A carta cobrava que o político cumprisse a parte do seu programa eleitoral que apoiava a luta das mulheres.

6. Visita ao Malauí
A britânica condenou o casamento de crianças durante visita a Malauí, pedindo que as autoridades na África acabem essa prática, que pode colocar a vida dos jovens em risco, além de impedir que meninas tenham acesso à educação e a um futuro melhor. “É tão encorajador ver como uma prática tão danosa pode ser impedida quando comunidades trabalham juntas”, afirmou a atriz.

7. Campanha no Brasil
Em maio de 2016, em sua conta do Twitter, Emma usou a hashtag #EstuproNãoÉCulpaDaVitima para manisfestar sua solidariedade à garota de 16 anos que foi vítima de estupro coletivo no Rio de Janeiro.