*

A atriz Amber Heard detalhou o abuso sofrido enquanto foi casada com Johnny Depp. As declarações estão em processo judicial movido pelo ator por difamação após a ex-mulher ter escrito artigo na imprensa americana. De acordo com a reportagem da Page Six, Amber alega que Depp se tornava violento após fazer uso de drogas e álcool.

“Com mais ou menos um ano de relacionamento, comecei a presenciar Johnny abusando de drogas e álcool. […] Em algumas ocasiões, quando ele usava simultaneamente narcóticos ilegais e medicações prescritas, eu precisava providenciar assistência médica para ele”, disse a atriz. Eles começaram a namorar em 2012.

“Quando ele usava [drogas], eu me preocupava por nós dois. Ele se tornava uma pessoa completamente diferente”, relata Amber. “Chamávamos essa versão de Johnny de ‘O Monstro’. Ele frequentemente esquecia de sua conduta delirante e violenta depois de [ficar sóbrio]”, conta.

De acordo com a atriz, quando Johnny Depp usava drogas ou consumia álcool, ele começava a abusar verbalmente de Amber e acabava jogando objetos, como garrafas de vidro cheias, nela. Segundo Amber, “um dos momentos mais horríveis e assustadores” aconteceu em uma viagem de três dias que os dois fizeram à Austrália.

“Johnny me agarrou pelo pescoço e pela clavícula e me jogou contra a bancada”, contou. “Tentei me levantar enquanto ele me estrangulava, mas meus braços e pernas continuavam escorregando no álcool derramado e foram arrastados contra o vidro quebrado na bancada e no chão, o que repetidamente cortou meus pés e braços.”

A atriz conta ainda que pediu para Depp parar, dizendo que ele a estava machucando, mas foi ignorada e ele continuou com as agressões. Foi aí que o ator cortou a ponta de seu dedo fora e se distraiu. Amber aproveitou o momento, fugiu e se trancou em um quarto.

Como eu amava o Johnny, eu acreditava em suas múltiplas promessas de que ele iria melhorar. Eu estava errada"
Amber Heard

A atriz pediu o divórcio em maio de 2016, pouco mais de um ano após o casamento, e detalhou que Depp abusava dela fisicamente: arrancava seus cabelos, a estrangulava e quase a sufocou. O ator moveu uma ação, exigindo US$ 50 milhões por difamação, após Amber Heard escrever um artigo no The Washington Post em 2016 – embora seu nome não ter sido citado. O texto foi escrito após a atriz receber não somente críticas mas também ameaças de morte, além de muita desconfiança sobre a veracidade de seu depoimento.