*

Em 1951, o canadense Norman Grams ajoelhou no chão para pedir a mão de sua namorada Mary em casamento. Para dar à noiva de presente, ele escolheu um anel lindo: um solitário.

A peça ficou por 53 anos no dedo da amada. Mas em 2004, a mulher o perdeu enquanto cuidava do seu jardim em Alberta, no Canadá.

Após mais de uma década de busca, essa história teve um final feliz. A nora do casal encontrou a joia, 13 anos depois, na plantação da família. Colleen Daley colhia cenouras quando percebeu que o vegetal havia crescido ao redor do anel.

Mary já havia desisto de encontrar a aliança. Inclusive tinha comprado uma peça mais simples para substituí-la. “Vou voltar a usá-la porque ainda cabe no meu dedo”, comemorou a octogenária.

Confira as tendências de anéis de noivado dos últimos anos:



COMENTE

 
canadátá bombando

Leia mais: Casamento