Será que você sabe usar filtro solar?

Separamos sete dicas fundamentais para você não errar na hora de se expor ao sol

Pasta d’água tem o seu valor
Os produtos que compramos em farmácias, com FPS15, 20, 30, etc., são os chamados filtros químicos, que bloqueiam a radiação por meio de reações químicas. Mas existe uma outra classe de protetores que agem como se fossem pequenos guarda-chuvas na pele, impedindo que os raios sequer cheguem até ela. Os mais usados hoje para isso são o óxido de zinco e o dióxido de titânio. Eles protegem tanto quanto os químicos, com a desvantagem de deixarem a pele esbranquiçada. No entanto, como não penetram na pele e nem agem às custas de reações, são um pouco mais seguros. “Crianças entre seis meses e 2 anos, por exemplo, só podem usar filtros físicos. Eles também são ideais para pessoas com sensibilidade aos filtros químicos ou com a pele desprotegida devido à alguma doença”, explica a dermatologista Nicole Perim, da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Até porque os químicos já foram alvo de polêmica
Os dermatologistas não concordam, mas há quem se recuse a usar na pele um filtro químico, justamente em função das substâncias que constam no frasco do produto – a modelo Gisele Bündchen talvez seja a mais conhecida voz desse movimento. “Esse é um assunto que aparece todos os anos em congressos médicos, mas esses estudos não têm comprovação com humanos. O que eles consideram é que, como eles penetram um pouco na pele, esses filtros poderiam agir como o hormônio feminino no organismo. Mas esses resultados foram obtidos com ratos, e em altas doses. Sabemos que ele é seguro em humanos sendo aplicado duas vezes ao dia no corpo inteiro. Por isso continuamos indicando”, argumenta a médica.

Filtro solar com cor protege mais que o comum
A explicação é simples: além da proteção química, especificada no FPS, esses produtos geralmente levam uma quantidade maior de filtros físicos. Isso porque o pigmento ajuda a disfarçar o efeito esbranquiçado que a barreira deixa na pele – e que, por esse motivo, costuma vir em menores quantidades nos produtos transparentes. Por isso, protetores com cara de base (e não o contrário), costumam oferecer proteção extra contra a radiação.

Precisa usar no inverno
Mesmo que às vezes menos intensa, a radiação solar existe no inverno também e, por isso, o filtro é item obrigatório também nos dias frios. Até porque, o raio UVA, principal causador do câncer de pele, consegue atravessar as nuvens e é perigoso mesmo em dias de mormaço.

E no escritório também
O mesmo raio UVA que atravessa nuvens também passa por janelas de vidro. “E já existem estudos que mostram que a radiação da luz artificial, como a dos computadores e das lâmpadas, também está relacionada à formação de radicais livres e à pigmentação da pele. Ou seja, principalmente quem faz tratamento de manchas escuras, como o melasma, precisa do filtro mesmo em ambientes fechados”, alerta Nicole Perim.

 Não precisa apelar para o FPS 100
Filtros com fator 30 de proteção já são considerados bloqueadores – eles bloqueiam 97% dos raios UVB. Por isso, a não ser por recomendação de um especialista, não é necessário apelar para um filtro com um número maior no rótulo. “Eu prefiro que um paciente use um filtro com fator 20 de boa qualidade do que um 100 de péssima”, pondera a dermatologista Valéria Campos, especialista pela Harvard Medical School. Além disso, ela diz, entre o FPS 20 e o FPS 60 existe uma diferença de apenas 5% de proteção. “Os estudos mostram que os filtros maiores têm menor adesão de reaplicação também, o que é muito importante. Os menores costumam ser mais reaplicados”.

Mas não pode economizar
Filtros solares são produtos caros, mas não adianta economizar na quantidade: o fator especificado no rótulo vale apenas quando aplicado na quantidade correta, que não é pouca. “Para o rosto, pescoço, colo e braços, é uma colher de sopa cheia”, ensina Valéria Campos. Ou seja, se o seu filtro durar mais do que um mês, desconfie. “Na praia ou piscina, um filtro para o corpo deveria ser suficiente para apenas uma pessoa, um fim de semana. No entanto, costuma durar meses e a família toda usa”, continua a especialista.