Adriana Barbosa da Silva, acolhedora do Crematório e Cemitério da Penitência no Caju, no Rio

500 mil mortos

Bolsonaro não se sentiu obrigado a dirigir nenhuma palavra de conforto e pesar quando a terrível marca de 500 mil mortos foi atingida

Últimas notícias