Preso cego que teve ajuda de mãe para abusar de criança de 5 anos

Homem preso é amigo da família da vítima e, segundo a Polícia Civil, já teria abusado de outras crianças em Goiás e no Tocantins

atualizado 19/03/2021 17:51

Polícia Civil de GoiásVinícius Schmidt/Metrópoles

Goiânia – Um homem de 30 anos, deficiente visual, e uma mulher de 25 anos foram presos nesta quinta-feira (18/3) pelo crime de estupro de vulnerável contra uma criança de 5 anos. Segundo a Polícia Civil de Goiás (PCGO), a vítima é filha da suspeita.

Por meio da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) de Goiânia, a PCGO deu cumprimento nesta quinta-feira (18/3) a mandados de prisão temporária expedidos em desfavor da dupla. O crime ocorreu no dia 17 de janeiro de 2021, na cidade de Palmas, capital do Tocantins.

Após contato da Polícia Civil do Tocantins informando os fatos e que possivelmente os autores estariam escondidos em Goiânia, a DPCA fez diligências e localizou os investigados.

Um dos presos é o abusador, que é deficiente visual e amigo da família. A mulher presa, de 25 anos, é a mãe da vítima que, após saber do crime, fugiu juntamente com o abusador para Goiânia, escondendo-se no Setor Balneário Meia Ponte.

goias estuprador deficiente visual
Deficiente visual foi preso por estupro de vulnerável contra uma criança de 5 anos

Durante a prisão, quatro filhos da autora, com idades entre 1 e 9 anos, estavam em sua companhia. As crianças foram encaminhadas ao Instituto Médico Legal (IML) para exame pericial relativo aos abusos e entregues ao Conselho Tutelar.

Em entrevista, os presos negaram os crimes e foram encaminhados para a Delegacia de Capturas, onde aguardam transferência para o estado do Tocantins, onde ocorreram os fatos.

No procedimento policial do Tocantins, existem testemunhas que afirmam que o homem de 30 anos já abusou de várias crianças no estado de Goiás.

As denúncias serão apuradas pela DPCA. Tanto o abusador quanto a mãe da criança abusada respondem pelo crime de estupro de vulnerável.

A divulgação da imagem e identificação do preso foi precedida nos termos da Lei n.º 13.869, Portaria n.º 02/2020 – PC, remetendo também a despacho fundamentado da autoridade policial nos autos, especialmente porque visa a identificação de eventuais crimes outros cometidos pelo suspeito, bem como surgimento de novas vítimas no Estado de Goiás.

Últimas notícias