Veja por que dormir pouco detona a saúde e a produtividade

Sonolência e queda na disposição são sintomas da falta de uma boa noite de sono. O cansaço também eleva a pressão e baixa a imunidade

atualizado 21/05/2019 15:47

iStock

O sono é essencial para a saúde do organismo. É neste momento que acontecem reações importantes para o corpo como a regulação das funções endócrinas, o metabolismo cerebral e a reparação dos tecidos, além da consolidação de memórias. A rotina de mais de 60% da população brasileira, contudo, é de não dormir bem: são apenas entre 4 e 6 horas por noite, de acordo com informações da Associação Brasileira de Neurologia (ABN).

Veja como o seu corpo reage á falta de descanso:

Cansaço crônico
Sonolência excessiva e perda da disposição são os primeiros sintomas da falta de uma boa noite de sono. Isso pode afetar as tarefas diárias, especialmente no trabalho. O raciocínio lógico e o desempenho cognitivo sofrem interferências. Já percebeu que quando está com sono, você tem mais dificuldade de se concentrar? Essa é uma das estratégias do cérebro para manter-lhe desperto.

Imunidade e alterações hormonais
A privação do sono prejudica a produção de células de defesa do organismo, tornando o sistema imunológico menos eficaz para combater invasores. A relação equilibrada entre o tempo que permanecemos dormindo e acordados é fundamental para regular a produção de hormônios, como melatonina, hormônio do crescimento, adrenalina e TSH – o que pode provocar consequências como atraso do crescimento, dificuldades para o ganho de massa muscular, alterações tireoidianas ou fadiga, por exemplo.

Maior irritabilidade
Dormir pouco gera mau humor, tristeza e impaciência, além de ser um fator de risco para doenças mentais como depressão e ansiedade. Estudo da Universidade da Califórnia, EUA, aponta que após uma noite sem dormir, o nível de ansiedade pode aumentar em até 30%.

Pressão alta
Dormir menos de 6 horas por dia favorece o desenvolvimento de pressão alta, pois é durante o sono que há o descanso do sistema cardiovascular, com a diminuição da pressão sanguínea e dos batimentos cardíacos. A falta de sono também eleva o risco de doenças cardiovasculares, como infarto e AVC.

(Com informações do portal Tua Saúde)

Últimas notícias