Veja o que é e como identificar os sintomas de hipotireoidismo

Caracterizada pela baixa atividade da tireoide, é uma das doenças endócrinas mais comuns. O diagnóstico é feito a partir de exames de sangue

jarun011/istock

atualizado 07/02/2019 15:50

O hipotireoidismo é uma das doenças endócrinas mais comuns e é caracterizado pela baixa atividade da tireoide. Nessa situação, ela produz menos hormônios do que o necessário para o funcionamento ideal de todas as funções do organismo. O paciente normalmente sente uma diminuição da velocidade do corpo: batimentos mais lentos, pele seca, cãibras, unhas frágeis e dor de cabeça são alguns dos sintomas mais comuns.

O hipotireoidismo subclínico, uma das variações da doença, ocorre quando a pessoa possui T4 normal e TSH alto: comumente é assintomático e só descoberto em exame de sangue. Essa alteração é mais comum em mulheres com mais de 50 anos de idade, que tenham familiares próximos com hipotireoidismo, já tenham retirado uma parte ou toda a tireoide ou tenham recebido algum tipo de radiação na cabeça ou no pescoço.

A causa mais comum de hipotireoidismo é a Tireoidite de Hashimoto, uma doença autoimune onde os anticorpos começam a atacar a glândula tireoide, como se ela fosse nociva ao próprio corpo.

Sintomas
Os sinais que indicam o baixo funcionamento da tireoide podem surgir lentamente ao longo de vários anos:

  • Dor de cabeça, nos músculos e articulações;
  • Cãibras;
  • Unhas frágeis, quebradiças e pele áspera e seca;
  • Rosto, olhos, mãos e pés inchados;
  • Queda de cabelo sem causa aparente e cabelos mais finos, secos e sem brilho;
  • Batimentos cardíacos mais lentos que o normal;
  • Tendinite nas mãos;
  • Cansaço, fraqueza ou dormência;
  • Dificuldade de concentração, memória fraca;
  • Fala lenta;
  • Prisão de ventre;
  • Nervosismo;
  • Diminuição da audição ou surdez;
  • Aumento de peso sem causa aparente;
  • Voz mais grave ou rouca;

Em alguns casos, pessoas com hipotireoidismo também podem sofrer mudanças de personalidade, depressão e demência.

Possíveis causas
As causas da baixa produção de hormônios pela tireoide podem estar relacionadas a Tireoidite de Hashimoto, deficiência de iodo (bócio), tratamento contra o hipertireoidismo ou uso de medicamentos.

Pessoas que tomaram remédios para tireoide com o intuito de emagrecer também podem desenvolver hipotireoidismo porque, uma vez que esses hormônios já estão presentes na corrente sanguínea, a glândula pode parar ou diminuir a sua produção natural. Outra causa, menos comum, é a infecção com vírus, como os da gripe, que também pode causar hipotireoidismo.

Como saber se é hipotireoidismo
Para o diagnóstico é necessário observar o indivíduo, tendo atenção dos seus sintomas e realizar um exame TSH. Outros testes úteis são:

  • T3;
  • T4 livre e T4 total;
  • Pesquisa de anticorpos contra a tireoide;
  • Ultrassonografia quando são notados nódulos durante a apalpação da tireoide. Se estiverem presentes, o médico poderá pedir também a realização de uma biópsia durante a realização da ultrassonografia;
  • Mapeamento da tireoide.

Na gravidez
Essa alteração da tireoide pode surgir durante a gravidez e durar apenas mais alguns meses após o nascimento do bebê. Isso pode acontecer porque nesta fase da vida, o corpo da mulher diminui a sua imunidade para que o próprio organismo não expulse o bebê que está se formando. Como parte desse processo, a tireoide passa a produzir menos hormônios, levando aos sintomas de hipotireoidismo.

Normalmente não é necessário realizar nenhum tipo de tratamento: em menos de um ano de pós-parto os valores da tireoide podem voltar ao normal.

Como tratar
O tratamento para o hipotireoidismo é relativamente simples e deve ser feito por meio da reposição hormonal, com a administração de hormônios sintéticos que contêm o hormônio T4. Os remédios devem ser tomados em jejum, pelo menos 20 minutos antes do café da manhã.

Não há necessidade de tomar remédios com T3 – ao tomar o T4, o hormônio é convertido em T3 naturalmente pelo corpo.

Após seis semanas de início do tratamento, o médico pode verificar os sintomas ou solicitar um exame TSH para verificar se é preciso ajustar a dose até que a quantidade de T4 livre esteja normalizada. Depois disso, os exames para avaliar a tireoide devem ser realizados uma ou duas vezes por ano, para ajustar a dose do medicamento.

Em caso de hipotireoidismo subclínico, quando não há sintomas envolvidos, o médico pode indicar o uso de medicamentos porque eles ajudam a diminuir o risco de problemas cardiovasculares. A ação é importante para pessoas que estão acima do peso, tenham colesterol alto ou diabetes.

Com informações do portal Tua Saúde.

Últimas notícias