Veja as 6 principais causas de coceira na pele e saiba como tratá-las

Os pruídos estão entre os sintomas de vários tipos de doenças. Para que eles acabem definitivamente é preciso tratar a causa

atualizado 22/04/2019 16:18

iStock

A coceira no corpo surge quando alguma reação estimula as terminações nervosas da pele, entre os principais motivos estão: alergia, ressecamento da pele, suor ou a picada de inseto. Entretanto, a coceira que não passa pode estar relacionada a doenças, que podem ser dermatológicas, infecciosas, metabólicas ou, até mesmo, psicológicas.

Para tratar a coceira, é importante descobrir a causa. O sintoma, entretanto, pode ser aliviado com um antialérgico ou com uma pomada anti-inflamatória, prescritos pelo clínico geral ou dermatologista. Conheça as principais causas:

1. Reações alérgicas
Qualquer tipo de irritação na pele pode causar coceira, sendo comum que aconteça por uma alergia. Algumas das causas mais comuns incluem:
Calor ou suor excessivo;
Picada de inseto;
Tecidos, cosméticos, como sabonetes, cremes e xampus, ou produtos de limpeza;
Pelos de animais ou plantas;
Alimentos;
Reação alérgica a medicamentos;
Poeira ou ácaros de roupas, livros e estofados.

O que fazer: é necessário se afastar e evitar o contato com a substância que causa a alergia. Em alguns casos, pode ser necessário o uso de medicamentos antialérgicos, como dexclorfeniramina, loratadina, hidroxizine ou pomadas com corticoides.

2. Ressecamento da pele
A pele ressecada é causada, principalmente, pelo uso excessivo de sabonetes ou por banhos muito quentes e demorados. O ressecamento pode causar coceira constante e, até mesmo, levar à descamação da pele.

O ressecamento também pode ser provocado pelo uso de certos medicamentos, como remédios para baixar o colesterol, opioides ou diuréticos. Outro fator que contribui para o ressecamento é viver em regiões frias e com baixa umidade.

O que fazer: o tratamento envolve o uso de cremes hidratantes que contenham ceramidas, ácido glicólico, vitamina E ou ureia, por exemplo. Para aliviar os sintomas de forma mais imediata, pode ser necessário o uso de medicamentos antialérgicos, como loratadina ou dexclorfeniramina.

3. Dermatites
A dermatite é uma doença inflamatória da pele, geralmente de causa genética ou autoimune, em que há um processo alérgico crônico, que causa coceira constante e intensa.

Algumas das formas mais comuns de dermatite são:

Dermatite atópica: mais comum nas dobras, acompanhada de vermelhidão, descamação ou inchaço na pele;
Dermatite seborreica: causa vermelhidão ou descamação da pele, especialmente no couro cabeludo, onde pode ser conhecida como caspa;
Dermatite de contato: provoca intensa coceira acompanhada de bolhas e vermelhidão, em locais da pele que estiveram em contato direto com uma substância irritante, como um cosmético, por exemplo;
Dermatite herpetiforme: causa reação inflamatória que forma pequenas bolhas na pele que coçam, semelhantes às lesões provocadas pelo herpes, sendo mais comum em pessoas portadoras de doença celíaca;
Psoríase: é uma doença crônica da pele que causa inflamação e hiperproliferação das células da sua camada mais superficial, provocando lesões descamativas.

O que fazer: a pessoa que tem dermatite deve ter acompanhamento de um dermatologista, que irá avaliar as características das lesões e indicar o tratamento adequado, que pode incluir cremes hidratantes à base de ureia, corticoides ou antialérgicos, por exemplo.

4. Infecções da pele
Doenças infecciosas que atingem a pele, causadas por fungos, bactérias ou parasitas, costumam causar lesões e reações inflamatórias, o que provoca coceira.

Algumas das infecções mais comuns são:

Micoses de pele: caracterizada pela presença de lesões arrendondadas, avermelhadas ou esbranquiçadas na pele causadas por alguns tipos de fungo, como: tinha, onicomicose, intertrigo e pitiríase versicolor;
Candidíase cutânea: infecção causada pelo fungo Cândida, provoca lesões avermelhadas e úmidas, mais comuns nas dobras do corpo, como debaixo dos seios, virilhas, axilas, unhas ou entre os dedos, apesar de poder surgir em qualquer local do corpo;
Escabiose: também conhecida como sarna, é causada pelo ácaro Sarcoptes Scabiei, que causa uma coceira intensa e caroços avermelhados, é bastante contagiosa;
Herpes: a infecção pelo vírus da herpes causa vermelhidão e pequenas bolhas que podem causar coceira ou ser dolorosas, sendo comuns nos lábios e na região genital;
Impetigo: infecção na pele causada por bactérias que formam pequenas feridas que contêm pus e formam crostas.

Essas infecções podem ser transmitidas de uma pessoa para a outra, e costumam surgir em situações de higiene prejudicada ou quando há queda da imunidade.

O que fazer: o tratamento é orientado pelo médico, feito com remédios, geralmente pomadas, para eliminar o micro-organismo causador, com antifúngicos, como nistatina ou cetoconazol; antibióticos, como neomicina ou gentamicina; soluções de permetrina ou ivermectina para escabiose; e antivirais, como aciclovir, para herpes. A coceira também pode ser aliviada com antialérgicos.

5. Doenças sistêmicas
Infecções virais, como dengue, zika, catapora ou que causam alterações na circulação e imunidade, provocando coceira;
Doenças das vias biliares, causadas por doenças como hepatite B e C, cirrose biliar primária, carcinoma de ductos biliares, cirrose alcoólica e hepatite autoimune, por exemplo;
Insuficiência renal crônica;
Neuropatias, causadas por diabetes, AVC ou esclerose múltipla;
Doenças endocrinológicas, como hipertireoidismo, diabetes ou mastocitose;
HIV, tanto devido a infecções da pele, como por alterações imunes que possam surgir;
Doenças hematológicas, como anemia, policitemia vera ou linfoma;
Câncer.

Essas doenças podem causar coceira com frequência e intensidade diferentes em cada pessoa.

O que fazer: nesses casos, o médico irá indicar o tratamento da doença principal, que pode estar causando o prurido. Enquanto isso, para controlar os sintomas, o paciente pode usar medicamentos antialérgicos, como hidroxizine, para aliviar o desconforto.

6. Doenças psicológicas
A coceira de origem psicológica, também chamada de prurido psicogênico, é investigada quando não se consegue encontrar a causa da coceira mesmo após averiguação médica detalhada e demorada, com exames e avaliações físicas.

Esse tipo de coceira pode surgir em pessoas que apresentam doenças como depressão, transtorno bipolar, ansiedade, distúrbio obsessivo-compulsivo, distúrbios alimentares, dependência de drogas ou distúrbios da personalidade, por exemplo. Algumas vezes, o sintoma é tão intenso que a pessoa pode viver com lesões na pele causadas pela coceira.

O que fazer: após confirmação de que não se trata de uma doença dermatológica ou sistêmica, é capaz ser necessário o acompanhamento com psiquiatra, que poderá indicar terapia psicológica ou tratar a doença de base, com o uso de ansiolíticos ou antidepressivos, por exemplo.

(Com informações do portal Tua Saúde)

Últimas notícias