Varíola dos macacos: Bélgica é o 1º país a impor quarentena a doentes

Para evitar a disseminação da doença, quem for diagnosticado com a varíola dos macacos será obrigado a cumprir isolamento de 21 dias

atualizado 24/05/2022 13:07

Imagem de vírus em microscópio. Imagem azul com rosaSmith Collection/Gado/Getty Images

A Bélgica se tornou a primeira nação a impor quarentena para infectados pela varíola dos macacos. O país tem quatro casos detectados até o momento.

De acordo o jornal belga La Libre, autoridades sanitárias tomaram a decisão na sexta-feira (20/5) após consultar o Grupo de Avaliação de Riscos da Bélgica (RAG). Para evitar a disseminação da doença, quem for diagnosticado com a varíola dos macacos será obrigado a cumprir isolamento de 21 dias.

Entenda o que é a varíola de macacos, que causa surto na Europa

A Organização Mundial de Saúde (OMS) alertou que a expansão da vigilância e dos testes deve levar a um aumento no diagnóstico de casos pelo mundo. Segundo a entidade, até esse sábado (21/5), haviam sido confirmados 94 casos em 15 países onde o vírus não é endêmico.

“As informações disponíveis sugerem que a transmissão de humano para humano está ocorrendo entre pessoas em contato físico próximo com casos sintomáticos”, informou a OMS, em comunicado.

Essa doença infecciosa é endêmica em alguns países da África Ocidental e Central. A doença foi diagnosticada pela primeira vez em humanos em 1970 e, de acordo com o perfil dos pacientes infectados atualmente (homens gays ou bissexuais, em sua maioria), provavelmente é transmitida por meio do sexo sem proteção, além de pelo contato com lesões em pessoas doentes ou gotículas liberadas durante a respiração.

“O que parece estar acontecendo agora é que ela entrou na população como uma forma sexual, como uma forma genital, e está se espalhando assim como as infecções sexualmente transmissíveis, o que amplificou sua transmissão em todo o mundo”, disse David Heymann, funcionário da OMS e um especialista em doenças infecciosas, à agência Reuters.

Os primeiros sintomas são febre, dor de cabeça, dor no corpo e nas costas, inchaço nos linfonodos, exaustão, calafrios e bolinhas que aparecem no corpo inteiro (principalmente rosto, mãos e pés) e evoluem, formando crostas, até cair.

Caso suspeito na América do Sul

Uma pessoa que voltou de viagem à Espanha no último dia 16 de maio procurou um hospital em Buenos Aires, capital da Argentina, neste domingo (22/5) com lesões pelo corpo. Os sintomas e o histórico de viagem para a Europa transformaram o paciente no primeiro caso suspeito de infectado pela varíola dos macacos na América do Sul.

De acordo com o jornal Clarín, o paciente está em boas condições gerais e teve material coletado para a realização de um exame que pode confirmar ou descartar o diagnóstico.

Mais lidas
Últimas notícias