Sarna humana: conheça a doença que Leonardo e Zé Felipe contraíram

Os cantores foram contaminados na véspera do nascimento de Maria Alice, filha de Zé Felipe e Virgínia Fonseca

atualizado 01/06/2021 18:16

Reprodução/Instagram

O cantor Leonardo e o filho Zé Felipe foram diagnosticados com escambiose, doença mais conhecida como sarna humana, depois de visitarem uma casa que estava abandonada há vários anos.

A sarna humana é uma doença bastante contagiosa, causada pelo ácaro Sarcoptes scabiei, transmitido de pessoa para pessoa. Quando atinge a pele, ele causa coceira intensa que piora à noite. Embora também seja frequente em animais, a sarna não se pega do cachorro, pois os parasitas são diferentes.

Zé Felipe compartilhou os detalhes do episódio com os seguidores do Instagram nessa segunda (31/5) e terça-feira (1º/6), da maternidade onde nasceu a filha Maria Alice, fruto da relação com Virginia Fonseca. Pelos Stories, ele e a esposa informaram que foram orientados pelo médico de que não haveria chance de transmissão e que a filha recém-nascida não corria risco de ser contaminada.

O cantor informou que foi medicado e tomou uma injeção de antialérgico, mas não ficou claro quando. O médico dermatologista Gilvan Alves, responsável técnico da clinica AEPIT, explica que o risco de contaminação é muito alto até que a pessoa seja tratada.

“É um ácaro altamente contagioso. Encostou, você pega”, conta Alves. “Na pele das crianças, pode se disseminar muito porque a imunidade delas ainda é baixa”, acrescenta.

Transmissão

A sarna humana é facilmente transmitida entre pessoas através do contato direto com a pele ou pelas roupas, lençóis ou toalhas que estiveram em contato com o ácaro. Isso acontece porque a fêmea do Sarcoptes scabiei deposita ovos na camada mais superficial da pele, facilitando a transmissão.

A doença pode ser transmitida também por pessoas que ainda não desenvolveram os sintomas. Por isso, caso seja identificado um caso na família, é importante que todas as pessoas com quem teve contato sejam testadas para que possa ser iniciado o tratamento adequado.

Também é importe não compartilhar toalhas de banho, evitar compartilhar roupas não lavadas, lavar a pele pelo menos uma vez por dia e evitar o contato direto com pessoas que vivam em locais com poucas condições de higiene.

Roupas contaminadas que não podem ser levadas imediatamente devem ser colocadas em um saco plástico fechado para impedir o ácaro consiga se alimentar.

Tratamento

O tratamento varia de acordo com a gravidade da infestação e do tipo de pele de cada pessoa, e deve ser recomendado por um dermatologista.

“O tratamento é bem fácil. Depois de tomar o remédio, você mata o parasita e não o transmite mais, mas a coceira continua por até quatro dias. Caso não seja tratada, a sarna pode se tornar crônica e perdurar por meses”, explica Gilvan Alves.

Os remédios mais indicados são a Permetrina, um creme que deve ser passado na pele para eliminar ácaro e ovos, ou Ivermectina. O comprimido fortalece o sistema imune e ajuda a eliminar o ácaro, mas não deve ser usado por grávidas, mulheres que amamentam ou crianças com menos de 15 kg.

O Crotamiton também pode ser indicado em alguns casos. O medicamento em forma de creme ou loção deve ser aplicado diariamente, mas também não é recomendado para grávidas ou mulheres amamentando.

Durante o tratamento, é importante manter uma boa higiene e lavar todas as roupas, lençóis ou toalhas que tenham estado em contato direto com a pele em água quente. (Com informações do portal Tua Saúde)

Últimas notícias