Própolis: conheça 5 benefícios à saúde e aprenda como usá-lo

O própolis é um antioxidante natural que ajuda na prevenção e tratamento de diversas doenças

atualizado 04/11/2021 17:43

Maryna Iaroshenko, Istock

Produzido por abelhas através da seiva das árvores, o própolis é uma resina que funciona como antioxidante, ajudando na prevenção e tratamento de doenças. Também possui propriedades que combatem bactérias e fungos, além de ser um ótimo anti-inflamatório de ação cicatrizante.

A forma mais comum na qual encontramos o própolis é em extrato, mas o ativo também pode ser comprado na versão em pó e há vários produtos que o utilizam como ingrediente da fórmula – por exemplo, cremes, pomadas, cápsulas e cosméticos.

O própolis traz diversos benefícios para a saúde devido às suas propriedades antioxidante, antimicrobiano e anti-inflamatório.

Entenda para que serve o própolis

1. Fortalecer o sistema imunológico

Uma dos mais conhecidos benefícios à saúde proporcionados pelo própolis é o fortalecimento do sistema imunológico. Por esse motivo, a resina é recomendada no tratamento de infecções na garganta e nas amígdalas. Além disso, o própolis também é indicado para amenizar os sintomas de gripes, sinusites e resfriados.

2. Acelerar a cicatrização de feridas

Já é comprovado que o própolis atua sobre lesões de pele impedindo a ação das bactérias, leveduras e fungos, e acelerando o processo de cicatrização. Aplicá-lo a cada 3 dias pode ajudar a tratar pequenas queimaduras e prevenir infecções na região machucada.

O própolis também acelera a cicatrização de feridas nos pés de pessoas com diabetes.

3. Ajudar no tratamento da herpes

Algumas pomadas com própolis ajudam a diminuir os sintomas provocados pela herpes labial e genital. A indicação, entretanto, deve ser feito pelo médico.

4. Curar aftas e gengivites

Por suas propriedades antimicrobianas, tomar própolis todos os dias reduz as aftas e previne que elas apareçam. O mesmo acontece nos casos de pessoas com gengivite, em que o composto pode ser usado para prevenir os sinais da doença, além de auxiliar a combater o mau hálito.

5. Proteger contra a Helicobacter pylori

A resina tem sido considerada como uma alternativa para o tratamento da infecção por Helicobacter pylori (H. pylori), ajudando a aliviar os sintomas de gastrite e úlcera péptica.

Como usar o própolis

O própolis pode ser usado aplicado diretamente sobre a pele, na água para fazer inalações com o vapor ou ser tomado puro ou diluído em água. A versão moída em flocos é a mais difícil de ser encontrada, mas é comercializada em lojas de produtos naturais ou diretamente com os produtores e pode ser consumida adicionada a sucos ou iogurte.

O extrato é concentrado e deve ser diluído em álcool ou água. Também pode ser ingerido na forma de comprimidos, extrato líquido e cápsulas.

Já existem no mercado cremes, pomadas e loções. O própolis pode ser encontrado e adquirido em farmácias e lojas de produtos naturais ou diretamente com os produtores.

Por ser comercializado em diversas concentrações, ainda não existem estudos que indiquem uma dose recomendada para o própolis. Geralmente existe uma recomendação de dose sugerida no rótulo do produto, mas é indicado consultar um médico ou um profissional de saúde antes de fazer uso.

Possíveis efeitos colaterais

O principal efeito colateral do uso do própolis é uma reação alérgica que causa sintomas como inchaço, vermelhidão, coceira ou urticária na pele.

Para evitar reações graves, é recomendado fazer um teste de sensibilidade antes de utilizar o própolis. Para isso, é necessário pingar 2 gotas do extrato no antebraço e aguardar entre 20 a 30 minutos e verificar se surge coceira ou vermelhidão na pele.

Quem não deve usar

O extrato de própolis está contraindicado para pessoas com alergia a abelhas, ao próprio própolis ou a algum dos componentes da fórmula dos produtos feitos com ele.

Durante a gravidez ou lactação, só deve ser usado com orientação médica. Além disso, as versões do extrato com álcool na composição estão também contra indicadas para crianças com menos de 12 anos de idade e alcoolistas. (Com informações do portal Tua Saúde)

Mais lidas
Últimas notícias