Processo de remolho do feijão ajuda a evitar gases e indigestão

Aquela prática antiga de deixar os grãos de molho por horas é necessária para retirar toxinas. Saiba como fazer o procedimento

Nattakorn Maneerat, IstockNattakorn Maneerat, Istock

atualizado 12/03/2019 15:05

Feijão é um dos alimentos mais frequentes nos cardápios brasileiros. Mas nem todo mundo que adora o grão sabe como prepará-lo. Antes mesmo de cozinhar o feijão, é preciso separá-lo e deixá-lo de molho. O procedimento conhecido como remolho ajuda a eliminar toxinas que podem provocar gases e/ou causar indigestão em algumas pessoas. O hábito é necessário, principalmente, com os grãos mais comuns, como o carioca e o preto.

O processo de remolho deve durar de 8 a 12 horas para dissolver alguns componentes considerados antinutricionais, como a rafinose e a estaquiose, que causam desconforto ao serem fermentadas no intestino. Depois do procedimento, o corpo absorve melhor nutrientes como proteínas e minerais. O remolho ainda acelera o processo de cozimento, já que hidrata os grãos. Outra vantagem é que os grãos passam a quebrar menos.

  1. Para fazer o remolho, coloque o feijão numa peneira e lave sob água corrente, transfira os grãos para uma tigela e cubra com a água – se algum boiar, descarte. Cubra a tigela com um prato e deixe descansar por um tempo entre 8 e 12 horas. A água deve ser trocada pelo menos uma vez. Outra opção, para quem está correndo, é fazer o procedimento direto no fogo. Coloque o feijão lavado numa panela comum e leve ao fogo alto. Quando ferver, desligue e tampe. Deixe assim por uma hora para hidratar os grãos, depois escorra e está pronto para cozinhar.

(Com informações Portal Tua Saúde.) 

Últimas notícias