Para gestantes: uma lista de alimentos ricos em ácido fólico

Encontrado em alimentos como quiabo e lentilha, o nutriente é muito importante para grávidas, pois ajuda a formar o sistema nervoso do bebê

atualizado 15/10/2019 21:14

UnsplashHeather Barnes/Unsplash

Entre os primeiros cuidados de saúde a serem tomados depois de confirmada a gravidez, está a suplementação de algumas vitaminas – principalmente a B9, conhecida como ácido fólico. A substância ajuda na formação do sistema nervoso do bebê e previne doenças graves, como anencefalia, espinha bífida e meningocele. Mulheres que estão tentando engravidar também se beneficiam ao consumir o nutriente.

Além do suplemento em cápsulas, é possível achar o ácido fólico em alguns alimentos. Certos vegetais, como beterraba, quiabo, brócolis e couve-flor, e alguns produtos industrializados são enriquecidos com a vitamina. Segundo a Organização Mundial da Saúde, cada 100 g de produtos como macarrão, aveia, arroz e farinha de trigo, deve fornecer uma quantidade mínima de 150 mcg do nutriente.

A ingestão recomendada de ácido fólico para adultos saudáveis é de 400 mcg por dia, e para gestantes é de 600 mcg por dia.

Confira, na tabela, alguns alimentos cheios de ácido fólico:

AlimentosPesoQuantidade de ácido fólico
Fígado de frango cozido100 g770 mcg
Fígado de peru cozido100 g666 mcg
Levedo de cerveja16 g626 mcg
Fígado de boi cozido100 g220 mcg
Lentilhas99 g179 mcg
Quiabo cozido92 g134 mcg
Feijão-preto cozido86 g128 mcg
Espinafre cozido95 g103 mcg
Soja verde cozida90 g100 mcg
Macarrão cozido140 g98 mcg
Amendoim72 g90 mcg
Brócolis cozido1 xíc.78 mcg
Suco de laranja natural1 xíc.75 mcg
Beterraba85 g68 mcg
Arroz branco79 g48 mcg
Ovo cozido1 unidade20 mcg

Consequências da falta de ácido fólico
A deficiência do ácido fólico está relacionada a problemas graves de saúde, como síndrome hipertensiva da gestação, descolamento da placenta, aborto espontâneo de repetição, parto prematuro, baixo peso ao nascer, doenças crônicas cardiovasculares e cerebrovasculares, demência e depressão. Todavia, a suplementação e a alimentação saudável conseguem diminuir esses riscos, aumentando as chances de uma gravidez saudável e do bom desenvolvimento do bebê, prevenindo cerca de 70% dos casos de má-formação do tubo neural. (Com informações do portal Tua Saúde)

Últimas notícias