Opas: “Enfrentamos uma pandemia de pessoas não vacinadas nas Américas”

Entidade destaca diminuição das infecções por Covid onde há vacinação adequada, mas o continente ainda é repositório de variantes do vírus

atualizado 21/07/2021 15:10

vírusUnsplash/Fusion Medical Animation

Em relatório divulgado, nesta quarta-feira (21/7), a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) afirma que foram registrados no continente 967 mil novos casos de Covid-19 e 22 mil mortes em decorrência do vírus na última semana, o que representa uma diminuição dos índices registrados na semana anterior.

Durante coletiva on line, as autoridades da Opas destacaram que o acesso à vacina ainda divide a região e apelaram para o ritmo da vacinação seja acelerado. Segundo o mapeamento da agência de promoção à saúde, onde há o fornecimento adequado de vacinas, as infecções caem. Mas onde a cobertura vacinal é baixa, ainda são registrados altos índices de infecção.

Os países que estão com queda de novos contágios graças ao avanço da vacinação são Estados Unidos, Canadá, Uruguai, Chile e Argentina. Já Honduras e Haiti ainda não alcançaram 1% de imunização de suas populações, segundo o relatório.

De acordo com a entidade, há focos preocupantes da doença na Colômbia e no Peru. “Essa tendência mostra que o coronavírus ainda está consolidado nas Américas”, observou Carissa Etienne, diretora da Opas.

As autoridades reforçam a importância do avanço da vacinação para controlar a disseminação do vírus e evitar o surgimento de novas cepas. “Enfrentamos uma pandemia de pessoas não vacinadas. A única forma de deter o vírus é pela vacinação. As vacinas são essenciais, mesmo que nenhuma seja 100% eficaz. Igualmente importante são as medidas de saúde pública e de controle de infecção, como testagem em massa, distanciamento social e quarentenas”, destacou Etienne.

Segundo ela, até o momento 47 países e territórios do continente detectaram ao menos uma variante de preocupação e 11 registraram as quatro cepas consideradas mais preocupantes pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que são a Alfa, Beta, Gamma e Delta. “É um desafio importante que todos os países enfrentam. Continuamos com dificuldades para convencer às pessoas a se vacinarem, não dá para acreditar nisso, mas ainda há muita resistência das pessoas para receber as vacinas”, lamentou Jarbas Barbosa, subdiretor da Opas.

Últimas notícias