OMS elenca 6 fatores a levar em conta antes de reduzir isolamento

Diretor-geral afirma estar preocupado também com o número de infecções entre profissionais da saúde e diz que 10% já foi contaminado

Em entrevista coletiva nesta sexta-feira (10/04), o diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS) Tedros Ghebreyesus afirmou que está em contato com o governo de vários países do mundo para conversar sobre o afrouxamento das medidas de quarentena.

Segundo ele, é preciso levar em consideração seis fatores antes de flexibilizar o isolamento social. Os governos devem garantir:

  • Controle da transmissão
  • Oferta de serviços médicos e de saúde pública
  • Medidas preventivas em locais como escolas e postos de trabalho
  • Controle dos riscos de importação do vírus
  • Minimização dos riscos de novos surtos
  • Participação ativa das comunidades

Ghebreyesus também se mostrou preocupado com a estatística de que até 10% dos profissionais de saúde acaba sendo infectado pelo coronavírus enquanto trata pacientes doentes. “É alarmante. Se eles estiverem em risco, todos estarão em risco”, disse o diretor-geral.

Para ajudar a diminuir o risco, a OMS vai gastar US$ 280 milhões na distribuição de 100 milhões de máscaras médicas, 25 milhões de máscaras de outros tipos e 2,5 milhões de testes.