Nem toda cirrose é decorrente do consumo de álcool. Saiba mais

Condição destrói lentamente o fígado, que acaba perdendo as funções. Em muitos casos, apenas um transplante do órgão resolve o problema

Kateryna Kon/Science Photo Library/ GettyImages

atualizado 20/01/2020 9:08

Conhecida pela relação com o consumo abusivo de álcool, a cirrose é uma doença caracterizada pela destruição lenta do fígado, que resulta na perda progressiva da função do órgão. Apesar de o álcool ser a causa mais frequente do problema, ele também pode acontecer devido ao uso indiscriminado de medicamentos ou ser consequência de infecção pelo vírus da hepatite.

A doença é crônica e não tem cura, a não ser que seja realizado o transplante de fígado: receber um fígado novo e funcional é a melhor possibilidade de melhoria na qualidade de vida do paciente. Outra alternativa é controlá-la com o uso de medicamentos. No entanto, quando o transplante não é realizado e a doença não é devidamente tratada, o risco de falência hepática é grande.

Quando a cirrose tem cura
A cirrose tem cura a partir do momento em que é feito o transplante de fígado. Para que exista a indicação de transplante, é preciso que a doença esteja avançada e as funções do órgão, prejudicadas. É necessário que seja observado impacto direto na vida do paciente e aumento do risco de complicações, como varizes esofágicas, peritonite e complicações cerebrais e pulmonares. Nem todas as pessoas que possuem cirrose são elegíveis para o transplante de fígado: muitas conseguem controlar a doença por meio de uso dos remédios indicados pelo médico.

A partir do momento que o transplante é indicado, o paciente entra em uma fila de espera e é recomendado que mantenha o tratamento para aliviar os sinais e sintomas da doença. Após o transplante, para que seja confirmada a cura da doença, a pessoa precisa ser acompanhada por um hepatologista para verificar se há algum sinal de rejeição do órgão transplantado.

Como é o tratamento
O tratamento para cirrose tem como objetivo aliviar os sintomas e evitar a progressão da doença. Se for consequência do consumo de álcool ou drogas, é recomendado evitar completamente o uso. Quando causada pelo vírus da hepatite, é importante tratar a infecção.

Além disso, é fundamental ter uma alimentação adequada e fazer uso de remédios que controlem os sintomas.

Possíveis complicações
Podem surgir quando o tratamento não é realizado corretamente ou quando é iniciado em fases tardias da doença, havendo maior risco do aparecimento de complicações, como câncer de fígado, ascite, peritonite bacteriana espontânea, encefalopatia hepática, síndrome hepatorrenal e hepatocarcinoma, por exemplo. Para evitar essas complicações, deve-se respeitar todas as orientações médicas.

(Com informações do portal Tua Saúde)

Últimas notícias