Não é possível comparar eficácia das vacinas, dizem pesquisadores

Em webinar promovido pela Fapesp, especialistas pedem ainda que a população tome o primeiro imunizante que tiverem oportunidade

Em webinar sobre as vacinas da Covid-19 promovido pela Fapesp, pesquisadores e infectologistas afirmaram que não é possível comparar a eficácia de nenhuma das fórmulas e que os brasileiros devem tomar “a primeira vacina que tiverem oportunidade”.

De acordo com Ricardo Sobhie Diaz, professor da Unifesp, não há respaldo científico para dizer que um imunizante é melhor do que o outro. “Elas não foram comparadas entre si e os desfechos clínicos avaliados em cada um dos estudos de fase 3 são diferentes”, explica.

Entre as vacinas aprovadas para uso emergencial no Brasil, por exemplo, a Coronavac usou mais critérios para definir os casos suspeitos da doença entre os participantes, enquanto a AstraZeneca considerou sintomas diferentes. Os pacientes que participaram das pesquisas também foram imunizados em momentos e locais diferentes, o que influencia no grau de exposição ao vírus. Por isso, não é possível comparar a eficácia de cada uma das vacinas.

A infectologista Mirian Dal Ben, do hospital Sírio-Libanês, conta que todas as fórmulas que estão sendo criadas para lutar contra a Covid-19 estão sendo testadas com rigor e não serão aprovadas sem dados de eficácia e segurança, e a população deve se imunizar assim que possível.

Veja, na galeria, como cada tipo de vacina funciona:

1/12