Lesões por esforço repetitivo (LER): entenda sintomas e evite a doença

Os sintomas incluem dor nos membros superiores e dedos, formigamento e fadiga muscular. Saiba como prevenir

Corinne Kutz, UnsplashCorinne Kutz, Unsplash

atualizado 14/05/2019 14:43

Você já ouviu falar em lesão por esforço repetitivo? A síndrome também chamada de LER ocorre especialmente em pessoas que realizam a mesma atividade excessivamente, como digitação, crochê, tocar piano, carregar pesos, dirigir, entre outros. É considerada uma das causas mais comuns de afastamento do trabalho, sendo responsável por quase 12% dos benefícios concedidos pelo Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) em 2017.

A lesão pode piorar quando somada ao estresse do ambiente de trabalho, bem como a posturas incorretas. Esse distúrbio provoca dor e inflamação. Os sintomas da doença incluem dor nos membros superiores e nos dedos, dificuldade para movimentá-los, formigamento, fadiga muscular e redução na amplitude do movimento. A prevalência é maior no sexo feminino.

O diagnóstico da LER deve ser feito por um médico. O tratamento, frequentemente, inclui medicamentos e, em casos mais severos, fisioterapia e afastamento do trabalho.

Confira algumas dicas que podem a prevenir a LER:

A cada 25 minutos de trabalho de digitação, faça uma pausa de cinco minutos.
A cada uma hora de digitação, saia de sua cadeira e movimente-se.
Beba água regularmente ao longo do dia.
Mantenha postura adequada com ombros relaxados, pulsos retos, costas apoiadas no encosto da cadeira.
As plantas dos pés devem estar totalmente apoiadas no chão.
A digitação deve ser feita com os pulsos ligeiramente levantados.

 

Com informações Portal Tua Saúde

Últimas notícias