Hora que você janta pode aumentar risco de AVC, diz estudo

Pesquisadores japoneses descobriram que comer cada dia em um horário pode interferir no ciclo circadiano e aumenta estresse oxidativo

De acordo com uma pesquisa publicada na revista científica Nutrients, a hora que você janta pode estar relacionada às chances de ter um derrame. O levantamento foi feito por cientistas da Universidade de Osaka, no Japão, e da Universidade de Minia, no Egito.

Os participantes foram divididos em três grupos: os que jantavam cedo, antes das 20h, os que comem tarde, depois desse horário, e os irregulares, que se alimentam cada dia em um horário. Fizeram parte do estudo 28 mil homens e 43 mil mulheres, todos com idades entre 40 e 79 anos. As informações de saúde e hábitos de vida deles foram acompanhadas por 19 anos.

Segundo os pesquisadores, as pessoas que comem sem hora fixa têm mais chance de morrer por AVC hemorrágico, quando um vaso sanguíneo estoura dentro do cérebro e causa hemorragia no crânio, do que as que jantam cedo.

Pessoas acima do peso e que se alimentam em horários irregulares são ainda mais propensas a desenvolver outros tipos de AVC, doença coronária ou outras condições cardiovasculares.

1/14
O acidente vascular cerebral, também conhecido como AVC ou derrame cerebral, é a interrupção do fluxo de sangue para alguma região do cérebro
O acidente pode ocorrer por diversos motivos, como acúmulos de placas de gordura ou formação de um coágulo – que dão origem ao AVC isquêmico –, sangramento por pressão alta e até ruptura de um aneurisma – causando o AVC hemorrágico
Muitos sintomas são comuns aos acidentes vasculares isquêmicos e hemorrágicos, como: dor de cabeça muito forte, fraqueza ou dormência em alguma parte do corpo, paralisia e perda súbita da fala
O derrame cerebral não tem cura, entretanto, pode ser prevenido em grande parte dos casos. Quando isso acontece, é possível investir em tratamentos para melhora do quadro e em reabilitação para diminuir o risco de sequelas
Na maioria das vezes, acontece em pessoas acima dos 50 anos, entretanto, também é possível acometer jovens. A doença pode acontecer devido a cinco principais causas
Tabagismo e má alimentação: é importante adotar uma dieta mais saudável, rica em vegetais, frutas e carne magra, além de praticar atividade física pelo menos 3 vezes na semana e não fumar
Pressão alta, colesterol e diabetes: deve-se controlar adequadamente essas doenças, além de adotar hábitos de vida saudáveis para diminuir seus efeitos negativos sobre o corpo, uma vez que podem desencadear o AVC
Defeitos no coração ou vasos sanguíneos: essas alterações podem ser detectadas em consultas de rotina e, caso sejam identificadas, devem ser acompanhadas. Em algumas pessoas, pode ser necessário o uso de medicamentos, como anticoagulantes
Drogas ilícitas: o recomendado é buscar ajuda de um centro especializado em drogas para que se possa fazer o processo de desintoxicação e, assim, melhorar a qualidade de vida do paciente, diminuindo as chances de AVC
Aumento da coagulação do sangue: doenças como o lúpus, anemia falciforme ou trombofilias; doenças que inflamam os vasos sanguíneos, como vasculites; ou espasmos cerebrais, que impedem o fluxo de sangue, devem ser investigados

“Um horário de jantar irregular está associado a maior gordura e Índice de Massa Corporal (IMC), e comer em horários irregulares pode ser associado ao aumento do estresse oxidativo”, justificam os pesquisadores. Eles explicam ainda que comer cada dia em um horário acaba atrapalhando o ciclo circadiano.

A pesquisa é observacional, o que significa dizer que não foi encontrada relação direta de causa e efeito entre o horário do jantar e a ocorrência de derrame, mas as informações servem de base para estudos futuros que investiguem melhor o assunto.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.